Peça ao seu time de RP para contarem histórias, não apenas publicar Releases

Peça ao seu time de RP para contarem histórias, não apenas publicar Releases

Shelley Pringle
30 Dezembro 2015

Relações públicas, ou mais precisamente relações com a mídia, pode ser um negócio complicado. A arte de conseguir cobertura da mídia para um produto, serviço ou negócio não é tão fácil como parece. E, embora o grau de dificuldade varie de marca para marca, o segredo para garantir um editorial não é um comunicado de imprensa. Enquanto muitos comerciantes e proprietários normalmente focam nisso, um comunicado à imprensa não é nem necessário, nem essencial … embora, muitas vezes, seja útil.

Um release é útil no alinhamento de uma equipe quanto à palavras-chave, citações porta-voz e a linguagem que deve ser usada pelos profissionais de relações públicas ao falar sobre o anúncio com a mídia. No entanto, a menos que a sua empresa seja de capital aberto e o anúncio seja material, o release não é necessário.
Existem outros elementos mais críticos para uma campanha de mídia bem sucedida: o porta-voz adequado, ativosou ferramentas úteis de mídia (como visuais) e, mais importante, uma narrativa interessante ou história.
Não é nenhum segredo que faz a notícia. Jornalistas consideraram a atualidade, a proximidade, o conflito, a eminência e proeminência, a consequência, o impacto e interesse humano para avaliar uma história potencial.
No entanto, por vezes, esses elementos são difíceis de encontrar em merketing de marca – ou, até mesmo, são inexistentes. O truque é que ir à fundo para encontrar história, utilize oportunidades sazonais para a sua vantagem, ou, quando necessário, crie uma história você mesmo.

Encontre uma narrativa interessante para proteger sua cobertura da mídia.

#1 Pesquise à fundo para encontrar história

Se você cavar ainda mais, muitas vezes você vai perceber que a sua empresa tem inúmeras histórias para contar. O desafio é identificar a narrativa adequada, explicá-la sem jargão e montar para que desperte o interesse da mídia .
Um exemplo é o Research & Innovation Centre Vineland, um centro independente, sem fins-lucrativos de pesquisa com sede em Niagara, Ontario. O Centro foi buscando a cobertura da mídia para apoiar seu objetivo de se tornar um reconhecido centro de pesquisa de horticultura e excelência em inovação. Entrevistas iniciais com sua equipe de comunicação revelou algumas coisas interessantes sobre o centro de pesquisas:
• Como os pesquisadores estão criando plantas mais tolerantes à seca
• O poder de características sensoriais para afetar a escolha do consumidor
• Por que as tecnologias desenvolvidas para a exploração do espaço impactam práticas na Terra

Nós desenvolvemos diversas idéias de “histórias de impacto” para Vineland , curtas narrativas de 200 palavras com manchetes cativantes e informações interessantes que expliquem como a pesquisa beneficia canadenses. Para lhe dar um gostinho dessas ” histórias”, aqui estão as manchetes:
• A tolerância à seca: animando o Petúnias: Tudo está nos genes !
• Características sensoriais: Dê-lhes o que eles querem: Preenchendo as prateleiras de supermercados e centros de jardim do amanhã.
• As tecnologias espaciais: plantas no espaço: como a exploração espacial está conduzindo a inovação aqui na Terra

TV, rádio , jornais e revistas comerciais locais, todos realizaram entrevistas e apresentaram histórias em resposta às nossas idéias.

#2 Use oportunidades sazonais para sua vantagem

Não há fórmula única de sucesso em abordagem para garantir a cobertura da mídia. Às vezes, é uma questão de associar uma marca à uma oportunidade sazonal.

Por exemplo, a Crayola. A alguns anos, eles lançaram dois novos produtos para o mercado canadense. Ao invés de lançar mídia sobre os produtos, distribuíram um “kit criatividade” para férias de primavera- época do ano quando os pais, avós e cuidadores estão à procura de projetos para entreter as crianças.
Depois de receber o pacote muitos meios de comunicação comentou que eles poderiam facilmente construir artigos e histórias em torno do conteúdo. Postmedia publicou um artigo distribuído através de sua rede no Canadá e estações de TV. Em março fizeram alguns concursos, e o interesse percorreu em outras estações, incluindo dia das mães no Toronto Sun e cobertura para volta às escola no Canadian Living e Calgary Sun.

#3 Use sua imaginação para criar uma história convincente

Quando se trata de mídia, a situação mais difícil é quando uma marca não tem nada (ou quase nada) para ajudar a contar uma história.

Hallmark Canadá investiu em mídia como a sua principal ferramenta de comunicação para construir a consciência em Dia dos Namorados. Nesta ocasião apresentou um desafio incomum para a marca: é a única época do ano quando os homens compram cartões. É também um momento em que as mães e avós compram cartões para seus filhos e netos em idade escolar.
Além de editores de guias de presentes, a mídia televisiva têm pouco interesse em cobrir cartões e presentes do Dia dos Namorados. Enquanto mãe e avó são susceptíveis de ler estes guias no jornal ou uma revista favorita, os homens não são. Nosso desafio foi criar um programa de comunicação para chegar a vários públicos e gerar ganhos de mídia para impactar a notoriedade da marca.

A solução foi elaborar a nossa própria história chamada Pucker para o Dia dos Namorados, uma campanha temática de comunicações com o tema hockey, que apelou aos homens canadenses e mulheres de todas as idades.
O programa focou no fato de que o Dia dos Namorados caiu num sábado, na mesma noite que acontecia o Hockey Night in Canada. Os canadenses, tanto homens como mulheres, enfrentaram um conflito de agendamento exclusivo e tinham algumas hipóteses: planejar uma noite romântica sem hóquei, comemorar o dia dos namorados no dia anterior, ou incorporar seu amor do hóquei com o romance no dia 14? Uma pesquisa nacional com 1.000 canadenses explorado estas questões.

Descobrimos 40% dos casais iria escolher assistir a um jogo de hóquei, em vez de comemorar o dia de uma forma mais tradicional e romântico. Distribuímos os resultados da pesquisa para a mídia (e sim, nós usamos um comunicado à imprensa) fornecendo-lhes resultados regionais, deu-lhes o acesso ao nosso porta-voz da empresa, e desenvolveu um visual interessante e para a cobertura de TV e de impressão. Reportagens sobre o “dilema dos namorados” apareceu nas secções desportivas dos principais jornais, bem como em recursos do Dia dos Namorados e guias de presente, atingindo homens e mulheres antes do Dia dos Namorados.
A cobertura da mídia teve impacto significativo em todo o Canadá e também sobre o conhecimento da marca, preferência dos consumidores, insistência de marca.

Não há necessidade de Releases— Sério!

Em todos esses exemplos, nós não precisamos de um comunicado à imprensa para garantir a cobertura da mídia televisiva e de rádio.
Ao invés disso, nós nos concentramos em ajudar a mídia a contar uma história interessante que incorpore muitos dos critérios, como ajudando a decidir quais serão os cortes editoriais: oportunidade ou sazonalidade, conflito, consequência, e de interesse humano. Apesar de profissionais de relações com a mídia preferirem ter notícias de última hora para anunciar, as marcas não costumam tê-las. E mesmo quando o fazem, é importante dedicar energia para o desenvolvimento da história, e não focar muito no esforço em nota de imprensa.

Se você tem metas elevadas ou os modestas para a sua marca, uma narrativa interessante é a única coisa que importa quando procuram mídias televisivas ou de rádio.

Este artigo foi escrito por Shelley Pringle de Business2Community e foi legalmente licenciado através da rede publisher NewsCred