O Último Mandamento para C-Level: Alfabetização Digital

O Último Mandamento para C-Level: Alfabetização Digital

Shama Hyder
4 Julho 2017

Mídias Digitais já são uma plataforma para últimas notícias e o lugar onde as crises são geradas e extintas. E inteligência em primeira mão é sempre melhor que em segunda mão, por isso os executivos C-Level devem aprender como exercer com habilidade a autenticação bidirecional e transparência requeridos em mídias sociais.

Como palestrante veterano, eu estou acostumado a falar sobre marketing e suas várias facetas, mas ultimamente um novo tópico tem tido uma demanda muito alta…e está vindo direto do topo: Mídias Sociais para C-Level, porque uma coisa está ficando muito clara, tanto os clientes como os acionistas estão mantendo os executivos em um padrão mais alto: o digital.

Em 2015, um artigo da Harvard Business Revies reportou que 80% dos CEO’s das 50 maiores empresas do mundo foram engajados online e nas mídias sociais. Este é um salto muito alto desde 2010, quando somente 36% dos CEO’s eram “sociais”. No bravo mundo novo de hoje em dia, entretanto, um No bravo mundo novo de hoje em dia, entretanto, um líder forte precisa aprender não só como seguir as correntes do cenário social mas como se diferenciar e prosperar.

Mas, o que exatamente é alfabetização em mídias sociais e como colocar em prática?

 A alfabetização em mídia social é uma nova geração de alfabetização. Ela se expande além de entender as plataformas sociais para tornar a paisagem digital uma parte inerente do seu repertório profissional. Como um conjunto de habilidades, a literacia nas redes sociais pode ser dividida em duas áreas: pessoal e organizacional.

No sentido pessoal, a literacia de mídia social se traduz em criador de conteúdo, curador e conector. Estes três C são os pilares de uma personalidade digital.

A criação de conteúdo é fundamental porque contribui com volume e substância para as muitas plataformas digitais incríveis que temos o privilégio de acessar. Estimula o diálogo, o debate e o intercâmbio criativo. Para estabelecer qualquer nível de liderança de pensamento, o conteúdo é crucial. O meio, no entanto, depende do criador. Por exemplo, pode haver um CEO que ache que blogging seja tedioso e difícil para chamar sua atenção, em vez disso, prefere focar totalmente no Twitter e manter um fluxo de comentários curtos, ou criar um diário visual de marcos de carreira via Instagram ou usar o LinkedIn para se conectar com outros profissionais em sua indústria.

Independentemente do meio, o conteúdo deve ser uma extensão dos valores da marca do executivo. Quer se trate de ativismo ou liderança, tecnologia ou finanças, as mídias sociais são o lugar perfeito para se tornar conhecido por uma paixão ou conhecimentos específicos. Um executivo pode até ter um assistente para transcrever seus pensamentos registrados, mas a linha inferior é: eles devem produzir uma propriedade intelectual significativa.

A Curação é crítica porque, sem curar, o conteúdo torna-se sobrecarregado. O líder de hoje é por padrão um curador. As equipes internas e o público externo são bombardeados com informações, o que significa que o conteúdo fornecido precisa ser intencionalmente escolhido e devidamente contextualizado. Qual coleção de pensamentos, imagens e idéias é mais relevante para uma audiência particular e conjunto de objetivos? Como a informação pode ser filtrada inteligentemente para maximizar o interesse e o impacto?

Uma estratégia de curadoria para um executivo é reunir conteúdo de seus campeões da marca e funcionários. Ao incentivar um caráter da marca compartilhado ao mesmo tempo em que mostra a diversidade, os executivos podem projetar uma imagem vibrante e atraente de sua marca, um talento superior quer trabalhar e todos querem comprar. As Hashtags são uma maneira simples e engenhosa de coordenar a curadoria. L’Oréal e suas hashtags #LifeAtLoreal e #LorealCommunity são ótimos exemplos disso. Ao pedir aos funcionários que compartilhem picos em eventos de empresa e socialização, a L’Oréal conseguiu aproveitar as conexões que já estavam presentes em sua comunidade de funcionários para compartilhar um lado mais agradável da marca com um público mais amplo.

Isso nos leva à conexão. A conexão é crítica porque o que está sendo dito e como, é sempre secundário para quem está falando e para quem é falado. Por definição, um executivo que é um literado de mídia social, é um conector. Eles conectam pessoas a outras pessoas e recursos. A boa notícia é que é mais fácil do que nunca ser um bom networker e preparar o cenário para um acaso estratégico.

Uma das estratégias que permite que Elon Musk ganhe tanta força no Twitter é que muitas vezes lança novidades sobre os principais desenvolvimentos por meio de seu feed do Twitter e responde às perguntas dos colegas Tweeters, independentemente de quantos seguidores eles tenham. Esta abordagem excepcionalmente igualitária pode, ironicamente, ser uma benção para os executivos, que agora podem solidificar sua experiência em seu campo, transmitindo informações exclusivas para um grande número de pessoas.

Além de dominar os três Cs em um nível pessoal, os executivos devem garantir que toda a sua organização seja alfabetizada em mídia social. Embora possa haver um indivíduo – uma CMO ou VP – liderando esses esforços, é importante saber quais as capacidades uma organização, como um todo dinâmico, precisa possuir para prosperar na era digital. Para simplificar, podemos dividir a literacia de mídia social em um nível organizacional em três características: agilidade / adaptabilidade, agregação e autenticidade. Esses três A’s prepararam o cenário para que uma empresa se estabeleça atualizada e inovadora.

A agilidade / adaptabilidade é essencial porque a velocidade da tecnologia é muitas vezes mais rápida que a velocidade do protocolo, o sistema jurídico e a nosso próprio bom senso . Aqueles que conseguirem gerar a próxima onda precisam estar preparados para surfá-la. Em um mundo acelerado, você precisa se mover rapidamente. E, tudo depende de quão rápido você pode se mover. A sua organização permite que você seja ágil em suas decisões, ou existem muitos regulamentos e muita burocracia que o veta de agir rapidamente? A maneira habilidosa e ágil com que Dippin ‘Dots tratou as críticas do Twitter de Sean Spicer na sequência de uma eleição polarizadora é um excelente exemplo de agilidade. Se a empresa tivesse ficado enrolada em burocracia e aprovações, a inestimável oportunidade de PR teria sido perdida.
A agregação é essencial porque, para uma aplicação bem sucedida, é importante saber como as diferentes perspectivas se cruzam. Os líderes de hoje devem perceber que seu sucesso está interligado com o de outros. Eles têm que ser capazes de agregar conhecimento de vários setores (membros do conselho, clientes, imprensa, equipe interna) e depois analisar essas informações para tomar as melhores decisões possíveis. Os líderes alfabetizados em mídia social também percebem que, do ponto de vista das comunicações, não há nada linear. Marketing, branding, como a informação flui, todos são multi-touch e multi-pontos, e temos que medir e responder de acordo.

Finalmente, a autenticidade é essencial porque cada empresa representa um corpo de pessoas e essa é a base de seus outros relacionamentos. A transparência não é uma palavra-chave na web. É a marca registrada de uma rede aberta, bem como um grande construtor de confiança. Além disso, nada permanece escondido para sempre. Executivos inteligentes entendem e aceitam isso.
Eles são autênticos na voz (como eles se comunicam com as pessoas on-line? Qual o tom), são políticos (Ótimo, mas olha só, eles falam de uma maneira que as pessoas entendem.), promovem cultura (Todo mundo é um campeão ou um crítico – e isso vem De dentro). E eles agem (eles geram a conversa?).
Se tudo acima fosse usado como uma lista de verificação, como você ou outros membros do time C-Level da sua empresa estariam? Nos próximos anos, a literacia das mídias sociais deixará de ser um bônus adicional e passará a ser uma necessidade absoluta para qualquer executivo dominar. Para que ele possa escalar a escada corporativa.

Para começar a desmistificar as conversas de mídia social em torno de eventos e marcas, os Alertas Executivos podem ajudar.
Este artigo foi escrito por Shama Hyder da Forbes e foi legalmente licenciado através da rede NewsCred publisher. Dirija todas as questões de licenciamento para legal@newscred.com.