As Top 10 Tendências que vão Guiar o Marketing em 2017

As Top 10 Tendências que vão Guiar o Marketing em 2017

Daniel Newman
10 Novembro 2016

Parte do trabalho dos profissionais de marketing e comunicação é se manter por dentro das tendências e implementar estratégias tecnológicas que funcionem para suas marcas. Dependendo da sua estratégia, isso pode significar testar novas tecnologias para ver o que tem aderência ou o que permanece, usando o testado e aprovado. Em nossa contínua missão de tornar o trabalho dos profissionais de marketing e comunicação mais fácil, aqui estão as previsões para o marketing em 2017. ( Note como os dados ainda são tendência.)

Visibilidade é um aspect do marketing que não vai mudar – mesmo com o passar dos anos. O Marketing de antes e o de depois da transformação digital, gira em torno de como os clientes vêem seu negócio. Eu não tenho uma bola de cristal, mas eu tenho algumas idéias e informações sobre o que esperar das tendências que vão guiar o marketing em 2017.

Foco é crucial – e isso pode ser um desafio. Quanto maior o negócio, mais diversificada é sua base de clientes. Enquando os dados estão facilitando atingir os clientes é uma grande tarefa discernir informação de valor dentro do volume de dados disponíveis. Como você se mantém focado, cria conversas e aumenta essas conversas? É uma grande questão, mas prestar atenção ao que está no horizonte, pode trazer alguns insights. Aqui estão as 10 tendências que eu prevejo para 2017.

1. Foco extra na experiência do cliente. A experiência do cliente é o coração do marketing para todas as indústrias. Enquanto isso sempre foi um foco do marketing, os business atuais – pelos menos os bem sucedidos – abraçaram filosofias centradas no cliente para criar estratégias de marketing efetivas e transformações digitais positivas.

2. Métricas engajadas e efetivas: analytics 2.0. Falar sobre métricas de marketing tem sido um ciclo interminável ultimamente. Com confissões feitas pelo Facebook e outros sobre como os seus dados não contam uma história completa, o que nos resta não é suficiente. Agora – no próximo ano – medir será feito com um propósito. Prever objetivos de negócios para reverter em lucro, rendimento, retenção de clientes e satisfação.

3. Contar com os novos tenentes do marketing: tecnólogos em marketing e cientistas de dados. Para fazer as duas primeiras tendências da nossa lista funcionarem, os executivos têm que ter orientação para dados. Como as empresas pretendem conectar e-mail, mídia social, paga, orgânica e própria, entre outras estratégias de marketing, elas devem incorporar a tecnologia necessária para implementar e apoiar isto. É esperado que o responsável pelo marketing lidere esta iniciativa – estudos apontam que quatro entre cinco empresas já fazem isso.

4. Tudo personalizado. Como trabalhamos para personalizar tudo, desde latinhas de Coca-Cola até sapatos, a customização em massa mudou para personalização. Para alguns negócios, isso significará garantir que os pontos de contato são específicos e individuais. Para outros, será simplesmente racionalizar o processo de compra e torná-lo mais ágil e responsivo.

5. Melhor conteúdo em vídeo…e mais disso. Sim, conteúdo ainda reina, mas o tipo de conteúdo determina que a web está mudando. Conteúdo social, reviews, blogs, whitepapers e e-books, ainda são cruciais para o marketing, mas vídeo será a moda daqui pra frente. Considerando o sucesso dos games como Pókemon Go, espera-se que a realidade virtual e aumentada nos leve ao futuro. Marcas que não conseguirem incorporar recursos visuais e vídeos, estão fadadas ao esquecimento.

6. Mais marketing em mídias sociais. Nós precisamos mudar a maneira que pensamos sobre as mídias sociais. A estratégias de mídia devem divulgar menos e vender mais. Frequentemente, as marcas usam as mídias sociais para bombardear de conteúdo altamente genérico – conteúdo que as pessoas estão ignorando. As mídias sociais deveriam ser personalizadas também e isso não é tão difícil. Use a mídia social como linha de frente para vendas e serviços. Use-a para se engajar com os consumidores e não bombardear mensagens.

7. Abrace o IoT: A Internet das Coisas ainda é um bebê. Em 2017, espera-se que os negócios alavanquem o poder dos bilhões de dispositivos conectados – o sonho dos marqueiteiros. Coletar e fazer desses dados úteis, porém, será essencial. Beacons, sensores, dispositivos periféricos, TV’s, roupas, marcas fitness e mais estarão todos produzindo dados úteis, significando mais oportunidades de estar perto do consumidor. Espera-se que o IoT transforne a maneira como nós infuenciamos a tecnologia e dados.

8. Bots de Conversação e Inteligência Artificial serão dominantes: Proporcionar experiência positiva do cliente e serviço significa alavancar o poder da tecnologia. Pedir ao dispositivo conselhos sobre onde comer é ótimo, mas ele não sabe se você gosta de comida picante ou tem uma intolerância ao glúten. Imagine um bot de conversação que conhece seus gostos, o que você não gosta, necessidades e que pode te orientar sobre onde comer, como viajar, ou onde comprar. Esses bots de conversação podem usar Inteligência Artificial, aprendizagem profunda e muitos rastros de dados em toda a web para entender e orientar o comportamento do consumidor.

9. Marketing no tempo certo em vez de Marketing em tempo real. O marketing em tempo real – com os olhos voltados para oportunidades de divulgar e pontuar – tem sido quente nos últimos anos. Pense campanha da bolacha Oreo “Dunking in the Dark”. Como nós usamos os dados para entender o melhor momento para nos conectar com nossos consumidores, o tempo real deve mudar para tempo certo.

10. Prepare-se para o marketing possuindo as campanhas transformação digital. Muitos estão sugerindo que CMOs sejam a própria transformação digital. Eu discordo. O que o CMO deveria possui realmente é a “campanha” de transformação digital -o processo de mostrar ao mercado e suas equipes que uma empresa está se transformando. Explicando claramente como estas tendências, juntamente com iniciativas digitais, afetam a experiência do consumidor e como a empresa está executando isto.

Claro, esta lista não é tudo; guarde espaço para o imprevisível e sem precedentes. Dadas as tendências do ano passado e o que está no horizonte, no entanto, é assim que deve ser o planejamento para o próximo ano.

Esse artigo foi escrito por Daniel Newman da Forbes e foi legalmente licenciado através do NewsCred.