Psicologia das Mídias Sociais: A Ciência por Trás do Compartilhamento On-line

Há conferências planejadas e livros escritos sobre o que faz com que uma campanha se torne viral enquanto outra desmorona. E, para cada campanha de sucesso, há um público ansioso de profissionais de RP prontos para ouvir e colocar em prática essa receita indescritível.

Você já se perguntou por que algum conteúdo nas mídias sociais se torna viral? Ou por que as tendências aparentemente estranhas das mídias sociais pegam fogo e outras caem de surpresa?

Acredite ou não, existe uma ciência inteira por trás do motivo das pessoas curtiram, comentarem e compartilharem online.

Entender a psicologia das mídias sociais e por que as pessoas compartilham on-line é o primeiro passo para criar melhores experiências, relacionamentos mais fortes e conteúdo de marketing exponencialmente maior.

Como empresas e marcas, estamos todos procurando maneiras de gerar mais envolvimento com nosso conteúdo on-line, seja nas redes sociais ou em outro lugar.

Felizmente para nós, o New York Times realizou um estudo incrível que ainda hoje é tão relevante para a psicologia do compartilhamento online. Eles nomearam as primeiras cinco motivações para compartilhar:

  • As pessoas querem melhorar a vida dos outros (94%)
  • As pessoas querem que o conteúdo reflita sua identidade online (68%)
  • As pessoas querem crescer e nutrir relacionamentos (80%)
  • As pessoas compartilham porque gostam da sensação de ter outras pessoas comentando e se envolvendo (81%)
  • As pessoas querem espalhar a palavra sobre algo em que acreditam (84%)

Professor de psicologia e psiquiatria da UCLA e autor do livro “Social: Why Our Brains are Wired to Connect”, Matthew Lieberman, observou que:

“As pessoas estão regularmente sintonizadas em como as coisas que estão vendo serão úteis e interessantes, não apenas para elas mesmas, mas também para outras pessoas. Nós sempre parecemos estar à procura de quem mais achará isso útil, divertido ou interessante, e nossos dados do cérebro estão mostrando evidências disso.”

Olhando para alguns dos posts de mídia social mais bem sucedidos, pode não ser claro para quem não está acostumado o que os tornou tão populares. No entanto, do ponto de vista científico, podemos começar a entender o porquê.

O New York Times, por exemplo, postou um vídeo dos bastidores de como “Shape of You” do Ed Sheeran foi feito:

Este vídeo é incrivelmente eficaz do ponto de vista psicológico por várias razões, incluindo:

  • Shape of You foi uma das músicas mais populares de 2017 e por isso as pessoas procuravam identificar-se com essa música nas redes sociais – um reflexo de si mesmas e do seu gosto pela música.
  • As pessoas queriam nutrir suas relações com os outros (amigos e familiares) compartilhando um vídeo que sabiam que também desfrutariam – devido à popularidade da música.

‘Shape of You’: Making 2017’s Biggest Track

Turn up your volume one last time for 2017 — here’s how Ed Sheeran made "Shape of You."

Posted by The New York Times on Wednesday, December 20, 2017

 

Porque as Emoções São uma Ferramenta Poderosa no Compartilhamento Online

 

Em um estudo maravilhoso intitulado “Por que o conteúdo é viral”, Jonah Berger, professor assistente de marketing da Wharton School of Business (e autor do livro Contagious), e a co-autora Katy Milkman analisaram 7.000 artigos publicados no The New York Times para ver quais obtiveram a maioria das visualizações e compartilhamentos sociais e por quê.

Berger e Milkman descobriram que, quanto mais o conteúdo evocava uma emoção de alta estimulação, como espanto, raiva, ansiedade, medo, tristeza, humor ou admiração, melhores as chances de ser compartilhado repetidamente e até mesmo viralmente.

Os humanos estão cheios de emoções. Ao entrar na emoção, nós, como marcas e empresas, temos a chance de nos conectar com nossos clientes (humanos) em um nível impactante. Para não mencionar o aumento de compartilhamentos online!

A famosa “roda de emoções” de Robert Plutchik mostra quantas camadas emocionais os humanos são capazes de sentir:

 

Mídias Sociais

 

Referindo-se ao artigo do New York Times que discutimos anteriormente, talvez a emoção mais poderosa de todas seja a felicidade.

Os pesquisadores descobriram que a felicidade é o principal impulsionador do compartilhamento de mídias sociais. Emoções em camadas e relacionadas à felicidade compõem a maioria dos conteúdos online mais bem-sucedidos e virais.

Ainda não está convencido?

Abigail Posner, do Google, descreve o compartilhamento de felicidade como “troca de energia”:

“Quando vemos ou criamos uma imagem que nos anima, a enviamos a outras pessoas para lhes dar um pouco de energia e efervescência. Cada presente contém o espírito de quem o mandou.”

 

Dando ao seu Público a Motivação para Compartilhar

 

Desde torneios de golfe virais e festivais de cinema até as séries de televisão de maior sucesso nas mídias sociais, hoje as marcas e empresas enfrentam o desafio incessante de encontrar e criar conteúdo que as pessoas realmente queiram compartilhar.

Ao considerar a psicologia do motivo pelo qual as pessoas compartilham online, você poderá identificar estrategicamente uma fórmula vencedora para o conteúdo de marketing em uma base consistente.

Se você estiver interessado em seguir esse caminho, podemos ajudá-lo em sua jornada.