Como Engajar com Jornalistas nas Mídias Sociais

Saber como se envolver com jornalistas nas mídias sociais pode ajudá-lo a entender seus interesses e pontos de vista em sua indústria. Usando as estratégias deste post, mais o registro para o próximo webinar: O Bom, o Mau e o Melhor, pode ter certeza que sua próxima campanha de relações públicas será perfeita.

Há dez anos, antes dos bancos de dados de mídia e dos telefones disponíveis no Google, a tarefa mais difícil de qualquer campanha de relações públicas era rastrear os detalhes de contato dos jornalistas. Se você teve acesso à abominável Páginas Amarelas ou até mesmo tentou o MacGyver para encontrar um número de telefone, sabe que isso era um processo demorado e que gerava muita dor de cabeça.

Agora, a parte complicada não está mais em rastrear as salas de imprensa dos jornalistas. Está em descobrir quando e como se envolver com eles de maneira profissional, eficaz e personalizada para cada um – especialmente quando se trata de mídias sociais.

Você ainda está entendendo qual a sua maneira de interagir com os jornalistas on-line? Aqui estão três perguntas para ajudar a orientar uma estratégia de divulgação e pontos de essenciais para se envolver com jornalistas em mídias sociais.

1. Quem usa mídias sociais?

Primeiro, puxe uma lista de mídia confiável (e super atualizada!) E um a um, descubra quais dos seus principais jornalistas está usando mídias sociais e quais estão usando. (P.S .: A função de pesquisa de banco de dados da Meltwater, torna isto um passeio no parque).

2. Eles estão usando mídias sociais regularmente?

Para aqueles que estão usando mídias sociais, eles estão postando diariamente? Várias vezes por semana? Se assim for, você está com vantagem. Caso contrário, fique atento ao e-mail. Você não quer arriscar que suas mensagens sejam ignoradas, porque simplesmente eles não as estão vendo.

3. Como eles interagem com profissionais de RP e / ou marcas (se for o caso)?

Isso pode requerer um pouco de pesquisa no feed deles, mas aqui está o que você quer entender: eles estão pedindo citações aos veículos? Eles estão respondendo diretamente aos pitches? Eles estão interagindo regularmente com pessoas e RP de marcas? Eles estão pedindo mensagens diretas ou estão tendo conversas públicas? Ou eles simplesmente estão focando somente em suas próprias histórias e não estão envolvidos?

Isso ajudará a moldar como você abordará o engajamento com cada jornalista em sua rede social mais ativa. Seja porque você quer cuidar do relacionamento compartilhando e comentando seu conteúdo ou porque você planeja usar o Facebook ou o Twitter como sua principal plataforma de pitches.

Uma vez que você tenha sua lista, aqui está uma lista de coisas a fazer e não fazer se quiser se envolver com jornalistas nas mídias sociais:

FAZER

Entre em contato através de uma conta pessoal. Assim como você prefere interagir com os seres humanos – em vez de endereços de e-mail genéricos e contas de Twitter de marca – os jornalistas também. Além de que é mais fácil nutrir um relacionamento contínuo quando eles podem associar um rosto a um nome.

Inclua um gancho! Da mesma forma que você procuraria um gancho convincente ao receber um e-mail, você precisa dar a mesma atenção ao seu tweet, ao Facebook ou ao Instagram. Tem algo interessante a dizer sobre um conteúdo que ele acabou de publicar? Esse é um ótimo lugar para começar.

Pergunte suas preferências de contato. Quando eles te responderem, diga: “eu entrei em contato com você no Twitter; Esse é o melhor lugar para chegar a você? “Isso irá ajudá-lo a descobrir sua linha mais direta para eles avançar.

NÃO FAÇA

Stalk. Ou seja, não é necessário dar like em todos os tweets, fotos ou postagens. Regra geral: se isso te assustaria, provavelmente também os afugentaria.

Junte-se a comunidades e / ou eventos de jornalistas online com a esperança de que lancem seus conteúdos. É absolutamente bom (e te encorajamos!) A sintonizar um evento focado em jornalistas (como o chat semanal #wjchat Twitter) para melhor compreendê-los, no que eles estão prestando atenção. Mas não apareça e tente mostrar seu produto mais recente ou providenciar um café. Isso vai soar inadequado e fora do contexto – e fazer muito mais mal do que bem.

Vá direto ao ponto. A menos que seja uma crise e você precise entrar em contato com eles o mais rápido possível, siga-os, diga olá e goste e compartilhe o conteúdo que você considera mais convincente e relevante antes de começar a pedir que escrevam histórias sobre você. (Se você estivesse do outro lado daquela tela, você gostaria que eles fizessem o mesmo).

Perguntando por onde começar?

Confira os golpes de mestre dos meios de comunicação que você gosta, anote os escritores. Quando você estiver curtindo um artigo, anote o byline. Confira outros artigos que os jornalistas que você gosta podem ter escrito e para quais veículos. Procure-os no Twitter e comece a segui-los. Depois de algumas rodadas, você acumulará uma lista de jornalistas que você está rastreando. Se você quiser expandir rapidamente essa lista, use um banco de dados de mídia.

3 Estratégias de Comunicação para Quebrar Todas as Barreiras Geográficas

A concorrência por espaço e visibilidade de conteúdo é cada vez mais comum. Mas, se olharmos o lado positivo, a tecnologia pode fazer com que você quebre as barreiras de tempo e geográfia. Então, porque não ver isto como uma oportunidade de se conectar com seu público em tempo real?

Esta nova possibilidade, permite que você obtenha uma visibilidade mais clara do seu público alvo.

Aqui te mostramos três estratégias que você pode usar para aproveitar as novas tecnologias e conseguir atravessar as fronteiras da comunicação:

  1. Conheça como a sua Indústria é Percebida Fora do seu País.

Como primeiro passo, você deve ser capaz de monitorar o que está sendo falado especificamente sobre a sua indústria e sobre as principais empresas do setor. Tanto em notícias internacionais como nas redes sociais. Isto te ajudará a abrir a mente, pensar de forma inovadora e melhor, conseguir que seu conteúdo seja visto pelo seu público.

Com uma escuta completa da mídia, você pode perceber as últimas tendências de comportamento, particularidades do seu público alvo por país. Assim, você pode encontrar maneiras de adaptar as próximas mensagens à sua audiência.

Importante: para economizar esforços e tempo, utilize uma ferramenta de inteligência de mídia. Com isso, você terá uma visão completa da indústria e poderá filtrar a informação para ter o que for mais relevante para suas iniciativas.

  1. Conheça como seus Concorrentes Atuam no Âmbito Internacional

O fato de monitorar as empresas do seu setor, que não necessariamente sejam seus concorrentes diretos, pode funcionar como uma espécie de modelo, que permite que você tenha boas idéias para otimizar sua estratégia.

Nos tempos de hoje, é necessário se inspirar em outros modelos de negócios, aplicar suas idéias. Ajustar sua mensagem é importante para que sua empresa se diferencie do resto e consiga resolver os problemas dos clientes de maneira inovadora.

Para ver o que outras empresas têm feito e usar a informação efetivamente para melhorar o seu rendimento como pró em comunicação, é importante responder as seguintes perguntas:

  • Como estas empresas estão se comunicando com o público alvo em cada região? Qual é o tom que elas utilizam?
  • Com quais infuenciadores regionais estão se associando?
  • Quais são as características institucionais destes concorrentes e como se posicionam em diferentes mercados?
  • Que tipo de promoção ou incentivo estão oferecendo aos clientes?
  • Em que tipos de eventos estão participando mais ativamente? Existe alguma região em especial na qual estão mais presentes?

 

  1. Personalize seu Conteúdo de Acordo com o País/Região à qual você vai se Dirigir

 

Com o atual excesso de informaçao, é cada vez mais importante personalizar sua mensagem de acordo com o país/região à qual você vai se dirigir. Não há nada melhor do que criar conteúdo que seja familiar ao seu público. Isto permite que você se posicione como uma fonte importante de confiança perante sua audiência.

Você pode usar ferramentas tecnológicas como WordPress para obter conselhos relevantes. Ao mesmo tempo você organiza seu conteúdo para ser publicado online.

Antes de publicar seu conteúdo, é muito importante ter certeza de que este fará sentido para o mercado ao qual você vai conversar. Isto fará com que seu público coloque atenção, entenda sua mensagem e se conecte com você.

Como uma das responsáveis  por comunicação da Meltwater na América Latina, entendo que pode ser um grande desafio gerar conteúdo que seja útil para diversos países/regiões. Mas estes conselhos vão te ajudar a fazer com que esta tarefa seja possível e muito bem sucedida.

Lembre-se: utilize ferramentas de monitoramento de mídia e mensuração de impacto para conhecer mais do seu público em determinadas regiões. Uma visão clara de seu público alvo pode ajudar a alcançar as metas de negócios.

 

Ganhando da Concorrência com PR – Negócio Arriscado

Usar o máximo de visibilidade de PR que você conseguir, medindo forças com um gigante da sua indústria, pode elevar sua marca. Mas é importante se lembrar de manter seus valores e verdades, seguindo uma estratégia que honestamente destaca seus melhores recursos. Para saber mais sobre as melhores práticas de PR digital leia nosso ebook grátis. E para garantir que está dando seu melhor em cada discurso, inscreva-se no nosso webinar de 19 de outubro, com a convidada Cheryl Conner.

Esta questão surge frequentemente entre os nossos clientes. Suponha que seu produto é superior ao de um líder gigantesco da indústria, como Google ou Facebook. E isto é altamente visível. E agora? Como ganhar no PR, contra um concorrente gigante?

Logo após comemorar, você enfrenta pensamentos desconfortáveis

  • “Devemos gritar isso dos telhados, certo?”
  • “Talvez [mega concorrente] queira nos comprar!”
  • “Mas e se não quisermos ser adquiridos?”
  • “E se o nosso PR deixar [Google, Facebook, Amazon, Instagram] tão bravos, que eles nos esmaguem como um mosquito?”

Eis um exemplo (não relacionado a nossas próprias contas) que pode dar algum contexto. O desenvolvedor russo Artem Kuharenko fundou a NTechLab em 2015 para criar algoritmos de Inteligência Artificial (AI) “tão inteligentes quanto humanos e eficientes como máquinas”. Pouco depois do lançamento, eles ficaram de frente com o Google e cerca de outros 100 concorrentes no MegaFace Challenge da Universidade de Washington. Eles ganharam. Então, o que eles deveriam fazer em PR?

jacaré                                                                       Em PR, você deve lidar com um gigante, com cuidado.

Os valiosos benefícios do FindFace.PRO da NTechLab e outras formas em desenvolvimento de AI são aparentemente ilimitadas (e até um pouco assustadoras). Já em uso em um número crescente de aeroportos, a tecnologia de reconhecimento facial permite que os detentores de passaporte eletrônico cruzem as fronteiras de forma mais fácil e segura. Com uma taxa de precisão de mais de 99%, o nTechLab está eliminando o risco de viajantes com falsos passaportes eletrônicos. À medida que a tecnologia se torna mais adotada, poderá tornar os documentos de viagem tradicionais em papel, uma coisa do passado.

O reconhecimento facial é uma benção para os varejistas, como Walmart e Saks, que agora usam a tecnologia para capturar ladrões em ação, combinando seus rostos com imagens de banco de dados e rastreando clientes suspeitos. Em um número cada vez maior de casos, os varejistas estão usando tecnologia de reconhecimento facial para acompanhar o comportamento nas lojas para melhorar a experiência do usuário também.

Goste você ou não, os varejistas podem usar o reconhecimento facial para criar um perfil de suas preferências de compra, “tempos de permanência” (quanto tempo você gasta olhando certos itens) e repete compras para ajudá-los a oferecer ofertas específicas para você. Dá aos varejistas tradicionais uma chance de se destacar em sites de compras on-line com uma experiência ainda mais personalizada, tanto na loja como fora.

O que isso significa para PR

Mitigar os riscos.  Talvez em PR “menos seja mais” em uma situação em que excelentes resultados de um novato, aparentemente pequeno. Um concorrente bem-financiado poderia copiar ou roubar o que você fez. Geralmente, o momento certo para PR é quando você está dentro do prazo de entrega do produto, ou pode pelo menos aceitar e cumprir o prazo estabelecido. Já para B2B, talvez seja melhor se revelar através de uma parceria significativa, permitindo que a base de clientes do parceiro e seu marketing, ajudem a impulsionar e validar os seus resultados de PR.

Use os pontos negativos a seu favor. Para alguns consumidores, por exemplo, pensar que reconhecimento facial analisa o comportamento de suas compras, é algo assustador. Certifique-se de reconhecer e compensar os receios que seu produto pode criar em sua comunicação. Enfatize o aumento da segurança, melhor eficiência, melhores ofertas e resultados que você receberá. Indique a capacidade aumentada para proteger uma criança ou evitar um seqüestro.

PR Orgânico é uma vantagem. Para uma empresa como nTechLabs, um hackathon ou desafio é uma oportunidade ideal para produzir a atenção natural sem que eles precisem perseguir as publicações. Aproveite e compartilhe esse tipo de RP quando isso acontecer, aumentando oportunidades de investidores e parceiros chegarem até você.

Esteja alinhado, em vez de lutar com grandes marcas. Reconheça as principais marcas que geram atenção e validação a uma tecnologia emergente, em vez de tentar derrubá-las. Indique as vantagens que você traz para o mercado, como uma equipe pequena e focada, em vez de um vendedor gigante. Lembre-se de que cada vez que seu nome é mencionado em marcas como o Facebook ou o Google, você está obtendo benefícios de SEO e PR, desde que sua tecnologia e sua estratégia resistam aos resultasdos de relações públicas. Em vez de temer as grandes organizações, aprenda a receber e alavancar esses resultados com sinergia.

Aproveite a posição de menos favorecido enquanto você puder. Não se deve abusar desse status, mas lembre-se de que os repórteres e leitores estão muito acostumados a ver os maiores vendedores sendo glorificados com frequência. Por isso, estão dispostos a preferir uma alternativa pouco conhecida, mas que pode produzir um resultado inesperadamente melhor. Por exemplo, quando Google e Microsoft estavam travando guerras amargas para proteger seu território, foi uma empresa pequena e pouco conhecida que permitiu que os ambientes do Outlook e do Gmail se integrassem e conversassem. Foi isso que a pequena empresa, Cemaphore, conseguiu no New York Times. Estimulou a atenção dos investidores que, em última instância, adquiriram a empresa. Tudo isso, sem ter que enfrentar ou criticar nenhum dos maiores players da indústria.

Agora, enfrentar um grande concorrente não precisa ser uma missão suicida. A nTechLabs prova que você pode usar essa posição na indústria a seu favor. Para um bom resultado de PR, concentre-se na proposição de valor que você traz para o mercado, em vez de passar pelo desafio de ter um inimigo imbatível. E lembre-se sempre de procurar maneiras de ser visível enquanto estiver dando o seu melhor.

 

Esta publicação foi publicada anteriormente neste site em 14 de abril de 2017. Nos sábados, publicamos posts, caso os leitores os tenham perdido pela primeira vez.

Este artigo foi escrito por Cheryl Conner da Forbes e foi legalmente licenciado através da rede NewsCred publisher. Dirija todas as questões de licenciamento para legal@newscred.com.

 

 

 

 

 

 

Orçamento Maior? Construa um Case de PR Efetivo

À medida que as ferramentas de mídia social estão disponíveis para gerenciamento de marca e transmissão “grátis”, a idéia de ter um aumento de orçamento de relações públicas torna-se suspeita. Aqui, Michelle Garrett mostra como justificar o pedido por mais orçamento, a medida que os profissionais de relações públicas ficam mais inteligentes sobre o ROI de publicidade.
Você acabou de terminar uma campanha de relações públicas que foi um sucesso. O cliente estava feliz. Seu chefe ficou emocionado.

Você terminou uma campanha que foi um sucesso. O seu cliente ficou feliz e seu chefe, entusiasmado.

Agora, você gostaria de crescer, com uma campanha que requeira mais recursos, mais tecnologia e mais dinheiro.

Para muitos em PR, montar um case para aumentar o orçamento pode ser um desafio. Como você superará objeções ao seu pedido por mais dólares?

Como superar objeções

Às vezes, trata-se de mudar a percepção de RP. Se os líderes vêem os esforços de relações públicas como despesas versus investimentos, você pode se esforçar para construir um bom relatório para pedir mais orçamento. No entanto, se você puder mudar a forma como os líderes pensam sobre PR, você poderá ter mais chances de obter mais fundos.

Uma maneira de pedir orçamento é demonstrar ROI

“O velho ditado que não podemos gerir o que não medimos é duplamente verdadeiro no que se refere ao PR: não financiaremos o que não podemos gerenciar ou medir”, diz Christopher Penn, vice-presidente de tecnologia de marketing para SHIFT Communications. “Os comerciantes e os comunicadores que procuram mais orçamento precisam ser capazes de articular o que o aumento significará em termos de impacto no negócio”.

“Ao fazer o relatório, é importante comunicar o valor, não apenas saídas ou necessidades. O principal a evitar, é tentar justificar os aumentos do orçamento com base apenas no custo “, diz Tim O’Brien, diretor da O’Brien Communications. “Seu cliente não se importa se seus custos aumentaram, ou mesmo que você tenha trabalhado o dobro do tempo para obter os resultados que você prometeu originalmente. É melhor focar no futuro, o tipo de resultados razoáveis ​​que o cliente pode esperar e o aumento do valor para o cliente sobre esses possíveis resultados “.

Outra consideração, é dar uma olhada no que a concorrência está fazendo. Nada impulsiona tando um C-level como uma conversa sobre como vencer concorrentes. O argumento poderia ser que, se você quiser ganhar da concorrência, você precisará de mais orçamento. O monitoramento de mídia pode ajudar aqui, te dando uma visão sobre quem está fazendo a cobertura da concorrência e o que eles estão dizendo. Você também pode medir o sentimento das menções.

Construindo seu Case

Tudo isso parece ser ótimo. Mas, como você realmente constrói um relatório?

Determine quais atividades impulsionam o negócio e quais atividades têm ROI positivo, diz Penn. “Se eu colocar $ 1 na máquina de RP, o que sai? Se não for pelo menos US $ 1,01, então o PR não ganhará mais dinheiro “.

“Então, se queremos partir deste ponto, precisamos começar a usar estatísticas avançadas e métricas para construir modelos baseados no ROI que geramos”, continuou Penn. “Se eu souber que se colocar US $ 1 na máquina PR, em média, farei sair $ 1.25, então eu quero saber como chegar a $ 1.30, $ 1.50, $ 2, $ 5. Quanto mais de retorno podemos obter? ”

É aqui que as tecnologias como a análise preditiva e a aprendizagem de máquinas entram em jogo. As análises preditivas usam dados para prever o que é provável que aconteça. “Uma vez que sabemos, em média quanto rendem nossos esforços, ampliamos esses esforços com a ciência dos dados, para saber quando aumentar os gastos”, diz Penn.

Usar análises preditivas para projetar as necessidades, pode ser poderoso quando você está tentando aumentar o orçamento. Para fazer isso, você precisa de dados.

Essas fontes de dados podem ajudar

Quais fontes de dados podem te ajudar a montar o case?

  • Dados de Publicações vindo de Sistemas de Monitoramento de Mídia, como Meltwater
  • Análises da Web através de sistemas como o Google Analytics
  • Tendências de dados de provedores como o Google
  • Dados de SEO
  • Dados de mídia social
  • Penn enfatiza que você precisa começar com dados “limpos”. Se os seus dados estiverem contaminados desde o início, suas previsões serão erradas – o que pode descartar toda a campanha.

Além disso, tenha cuidado ao selecionar quais dados são os melhores para suas necessidades. Os dados pouco detalhados podem levar a previsões imprecisas, assim como dados muito detalhados.

Siga em frente

Claro, você vai querer rever e avaliar o progresso ao longo do caminho. Esteja disposto a fazer ajustes se a campanha estiver com desempenho abaixo do esperado. E no final, avalie os resultados para ver como ele foi no geral – e espero que aproveite seu sucesso ao pedir um budget ainda maior para seu próximo impulso de relações públicas.