5 Razões Para Ter uma Newsletter Interna

Além de parar para uma respiração profunda de vez em quando, algo que os profissionais de Relações Públicas geralmente esquecem, é construir uma newsletter para compartilhar seus sucessos com os colegas – e provar a contribuição do PR para os objetivos comerciais.

Como profissionais de Relações Públicas, podemos nos atrapalhar com nossas tarefas diárias.

Isso é compreensível; Leva tempo transmitir os sucessos de uma organização, cultivar relações com a mídia, proteger uma marca de detratores, buscar referência da concorrência e claro, rastrear o sucesso de programas e campanhas para relatar o ROI.

É possível que os funcionários não vejam a cobertura de PR e não saibam como a marca da empresa está sendo representada.

Ou se sabem, estão vendo somente a mensagem pública. Se você não está compartilhando o seu trabalho, os colegas estão perdendo a compreensão de como você gasta uma grande parte do seu tempo.

Em um cenário corporativo que exige que itens de linha orçamentária tenham uma justificativa, permitir que os colegas saibam como o seu trabalho está alinhado com o deles, pode ser tão poderoso quanto suas tradicionais atividades de relações públicas.

Através de um Boletim de Imprensa interno, você pode dar dar aos colegas o show de magia, sem deixar de estar nos bastidores. É por isso que, em muitos aspectos, o PR interno pode ser sinônimo de transparência no local de trabalho para o próprio departamento de comunicações.

Além de facilitar a transparência sobre o trabalho que você faz, alimentar sua empresa com conteúdo, pode te ajudar de várias maneiras.

Então, como fazer isso sem ficar compilando e enviando vários links por e-mail? Um boletim informativo interno pode ser automatizado na sua pilha MarTech e fazer o trabalho para você:

Uma Newsletter interna pode:

1. Atuar como uma plataforma para difundir a cobertura de mídia e de mídia social.

Com toda a cobertura de mídia orgânica que você acompanha, além do departamento de comunicações e seus relatórios mensais aos executivos, quem mais na sua organização vê essas peças?

Se você tivesse um boletim informativo interno, os links da cobertura de mídia poderiam ser compartilhados com toda a sua empresa. E com isso, os resumos da cobertura e o contexto, são explicados para sua organização. Além disso, o envolvimento de influenciadores na mídia ou nas mídias sociais indica quão bem sua marca está engajada.

 

 

2. Faça um inventário da concorrência.

Um boletim de imprensa pode ser uma oportunidade para cobrir notícias, tendências e insights da sua indústria. Não importa quão inovadora seja uma empresa, os concorrentes fazem parte de qualquer indústria.

É por isso que destacar as realizações e os erros dos concorrentes mais próximos, pode dar aos colegas informações sobre como podem fazer o trabalho. Com uma solução de monitoramento de mídia, você pode comparar como você está se saindo perante a sua concorrência. Compartilhando estas métricas, você permite que os seus colegas entendam como usar esses dados para informar futuras campanhas.

3. Crie um programa de embaixadores da marca para os funcionários.

O fato de compartilhar novos links e mensagens pode ajudar os embaixadores da marca a contarem a história da organização. Você conduzirá esses embaixadores da marca ao sucesso, destacando artigos positivos, menções de parceiros e informações que você obteve da escuta social.

E se você enviar o boletim através da sua plataforma de inteligência de mídia, você terá informações adicionais sobre quais colegas estão abrindo e lendo conteúdo.

Esses colegas de trabalho podem ser aproveitados para futuras colaborações, seja para algum tipo de conteúdo ou como candidatos para o programa de embaixadores de funcionários.

4. Forneça uma análise dos sucessos de seus esforços em Relações Públicas.

Seus colegas rastreiam sucessos através de dados, por isso, além de compartilhar a cobertura da mídia, você pode compartilhar gráficos fáceis de ler. Além de análises que acompanham a cobertura mensal da mídia, mídia social, o sentimento, benchmarks competitivos, etc …

É uma maneira fácil de comparar o trabalho que você faz, com aqueles mais interessados ​​em volume, do que com aspectos de engajamento.

5. Destaque os principais parceiros e clientes.

Use a newsletter como uma oportunidade para destacar os principais parceiros e clientes.

O boletim informativo pode mostrar como seus principais parceiros e clientes estão usando seus produtos e serviços de maneiras interessantes. Isso pode ser útil para vendas, desenvolvimento de negócios e para equipes de atendimento ao cliente. Também pode ajudar a UX / CX e as equipes de engenharia a entender como os produtos e serviços são realmente.

O seu trabalho de RP contribui tanto para o negócio quanto para vendas ou engenharia. Assim como seus colegas têm maneiras fáceis de mostrar como realizam seus trabalhos, você também pode, com um boletim informativo interno.

 

 

Se você estiver interessado em ver como é fácil produzir um boletim informativo interno com a Meltwater, nossa equipe pode te mostrar como fazemos, tendo como base pesquisas de palavras-chave que você pode realizar.

Aplicativos No Radar: Novos apps para profissionais de RP.

Os Melhores Aplicativos

Relações Públicas, vem integrando a tecnologia em nossa caixa de ferramentas na última década a velocidades absurdas. Embora possa ser vertiginoso tentar acompanhar quais aplicativos importam, muitos aplicativos atuais nos ajudam a fazer melhor nosso trabalho. Steph Parker compartilha alguns aplicativos mais úteis deste inverno. Para manter a Inteligência de Mídia ao seu alcance, baixe nossos aplicativos iOS ou Android.

 

Os aplicativos em tendência que os profissionais de relações públicas devem ter em mente neste inverno, têm uma coisa em comum: funcionar em tempo real. Não é surpresa que o uso de dispositivos móveis evoluiu para possibilitar aos usuários a capacidade de transmitir o mundo ao seu redor. Mas com esta mudança interessante, os aplicativos mais adotados estão fazendo com que o processo de criação, compartilhamento e medição do impacto fiquem em segundo plano. Está se perguntando qual deveria ser o próximo aplicativo na sua lista de downloads? Confira abaixo o nosso round-up.

Musical.ly

Musical.ly é uma rede social, alimentada por vídeos musicais criados pelos usuários. Popular entre a geração Z, os usuários escolhem músicas e gravam vídeos curtos que são carregados na plataforma. Views e likes impulsionam os vídeos mais insinuantes, dando aos criadores 15 segundos de fama.

Musical.ly se baseia na idéia de outro aplicativo bem popular, o Dubsmash: pessoas com acesso às mesmas ferramentas e recursos criam coisas muito diferentes entre si. O interesse em criar e ver o que outros estão criando é o que faz as pessoas voltarem para as plataformas. Simplificando, é divertido ver como as pessoas reinterpretam o mesmo conteúdo, especialmente quando é fácil participar.

Use-o para: mostrar seu lado criativo com uma trilha sonora incrível para ganhar um momento de glória.

Air

Não é segredo que a animação está ganhando forças. Air (Superfly) permite que fãs interajam com o conteúdo de maneiras que outros canais sociais ainda não descobriram. Semelhante ao Musical.ly, um forte banco de usuários de Millenials, alimenta sua programação. Ao contrário de Musical.ly, no entanto, as animações são em tempo real, criando uma experiência atrativa e engajadora. Os espectadores podem influenciar através desses recursos interativos. Por exemplo, a partir da história em si, você pode enviar “presentes” para os broadcasters.

Air tem níveis de assinatura que oferecem acesso ilimitado a todo o conteúdo na plataforma.

Use-o para: Descobrir os influenciadores e ver a vida e o mundo por trás dos bastidadores.

Fishbowl

 

Fishbowl é uma rede baseada no anonimato, os usuários se inscrevem no LinkedIn, com o nome de uma empresa ou o título do trabalho que serão exibidos. Depois de selecionar uma indústria, você é lançado em um fluxo onde outros profissionais fazem perguntas, trocam fofocas da empresa e buscam conselhos para sua próxima grande ideia.

Como o aplicativo é alimentado por profissionais da indústria, a Fishbowl é o lugar certo para “colocar a colher” no que é mais falado nas indústrias. Isso é ótimo se você já faz parte de uma comunidade, mas é ainda mais impactante se você estiver buscando trabalhar com um cliente ou parceiro.

Use-o para: Colocar a colher na saúde da sua marca/empresa. Saber o que está acontecendo em qualquer indústria

Impact

 

O Meltwater Impact ajuda a provar o valor dos esforços de mídia orgância em Relações Públicas. Publicando um lançamento? Basta colar o link e você terá métricas fáceis de ler sobre o desempenho. É possível ver também quais partes de sua mensagem foram bem-sucedidas.

Uma característica importante do Impact é a sua capacidade de medir lançamentos em mais de 200 países. Isto te dá uma visão geral do que funciona e como planejar estratégias para futuras campanhas. Com esta inteligência, você pode decidir em que dedicar seu tempo e orçamento. Além de decidir onde expandir e quando é o tempo certo para isso.

Use-o para: Acompanhar o impacto dos comunicados de imprensa na Web

Cabana

Cabana, é um aplicativo complementar ao Tumblr, que está colocando o “social” de volta nas mídias sociais com um novo aplicativo de vídeo. A premissa é simples: escolha um vídeo para assistir e, em seguida, convide alguns amigos a assistir com você.

Não quer assistir um vídeo? Não se preocupe – você e até seis pessoas podem usar a funcionalidade de bate-papo grupal do aplicativo. A simples premissa de compartilhamento de tempo em comum através de telas tem implicações para marcas valentes, dispostas a experimentar esse tipo de engajamento. Embora as sessões interativas de perguntas e respostas sejam frutíferas, as possibilidades de criar histórias e experiências com recursos humanos são ilimitadas.

Enquanto Cabana não é exclusivamente para públicos mais jovens, o Tumblr observa que ele foi testado incrivelmente bem entre os 13-18 anos de idade.

Use-o para: Compartilhar entretenimento com amigos, não importa onde você esteja

Mídia Social: Aumente o Brand Awareness da sua Marca

A mídia social tem sido um presente na caixa de ferramentas dos profissionais de RP atualmente. Usar essas ferramentas de forma efetiva, requer uma abordagem ligeiramente diferente para cada plataforma.

Este post mostra as atuais estratégias de mídia social. Mas quer o melhor segredo para se manter na frente? Adote uma mentalidade inovadora.

As mídias sociais são uma das ferramentas de marketing mais eficazes. Foi criado um gênero inteiramente novo de marketing que se tornou o que dita a publicidade digital.

Você é um empresário que desenvolve estratégias de marketing, então incluir as mídias sociais para aumentar sua conscientização da marca, é moleza.

Mas antes de começar a criar perfis para sua empresa, é preciso determinar quais plataformas são melhores para promover a sua marca e melhorar a autoridade da sua organização.

Ao escolher as redes sociais adequadas para se focar, você deve considerar os tipos de produtos e serviços que você oferece. É importante definir bem quem é seu público-alvo.

Cada plataforma possui diferentes dados demográficos, por isso ter uma sólida compreensão do alcance de cada canal é crucial para sua estratégia de mídia social.

Leia para saber quem usa cada canal e qual conteúdo publicar para aumentar a notoriedade de sua empresa.

Resumo da mídia social

Warren Knight dá uma ótima visão do número e do tipo de usuários ativos em cada plataforma. Segundo Social Media Examiner, ele relata:

  • O Facebook tem 1,86 bilhões de usuários ativos
  • O Twitter está em 319 milhões de usuários ativos
  • O Instagram tem 600 milhões de usuários ativos
  • O LinkedIn está em 500 milhões de usuários ativos

Não há faixa etária dominante para usuários no Facebook. 22,5% da base de usuários do Twitter está entre 25-34 anos.

Alguns dados demográficos mais interessantes provêm da base de usuários do Instagram. Como Salman Aslam da Omnicore relata:

  • 80% dos usuários do Instagram estão fora dos EUA
  • Mais da metade são mulheres
  • 28% de todos os usuários são 18-29

O relatório também compartilha que dos 500 milhões de usuários do LinkedIn, 100 milhões deles têm mais de 50 anos.

Com base nessas estatísticas, as empresas que procuram atingir Millenials devem criar perfis no Twitter e Instagram. Já as empresas que desejam segmentar usuários de todas as idades ou especificamente, usuários com mais de 35 anos, devem usar o Facebook.

Embora o LinkedIn seja uma grande plataforma de mídia social, ela é diferente com respeito ao cálculo de usuários ativos diários. O LinkedIn segmenta os profissionais por indústria, bem como empresas se conectando com potenciais funcionários e vice-versa.

Os usuários do LinkedIn estão ativos em uma base mais esporádica. Significa que eles usam com mais freqüência quando procuram emprego. As empresas também usam, quando estão procurando contratar.

Se você for da indústria B2B, convém concentrar esforços no LinkedIn. Para a maioria das empresas B2C o LinkedIn é uma plataforma secundária, depois do Facebook, Instagram e / ou Twitter.

Conteúdos de mídia social

Agora que compreendemos melhor a base de usuários de cada plataforma social, vamos ver como aumentar a consciência da marca. Como você faz isso? Através do compartilhamento de conteúdo personalizado.

Como você pode usar o conteúdo para aumentar a consciência da sua marca? Pergunte a si mesmo: “Qual é a especialidade da minha empresa? Quais palavras-chave são as melhores para a minha empresa?

Ao criar conteúdo, sejam posts de blog ou atualizações de redes sociais, mantenha esses elementos de sua empresa em mente. Fazendo isso, tudo o que você criar reforçará sua marca para leitores e seguidores.

Como Disha Dinesh explica, existem tipos básicos de conteúdo para melhor envolvimento:

  • Orgânico escrito
  • Emocional
  • Narrativa
  • Conversacional
  • Tempo real
  • Informativo
  • Visual

O conteúdo escrito orgânico, ou conteúdo personalizado, refere-se ao conteúdo que você escreveu especificamente para o seu público. Estes podem ser postagens de blog ou imagens originais com legendas. Estes últimos servem como conteúdo informativo se você também fornecer fatos ou estatísticas.

O conteúdo emocional significa que faz com que o consumidor sinta algo, como um meme engraçado ou um comercial inspirador.

O conteúdo Storytelling é auto-explicativo na medida em que conta uma história, mas a história tem que ter um ponto. Por exemplo, você poderia escrever sobre o trabalho duro que teve para iniciar seu negócio ou criar uma conversa aberta com seus seguidores fazendo uma pergunta; O mais importante é tornar a publicação interativa!

Os posts em tempo real são geralmente sobre celebrar feriados ou lembrar pessoas em datas específicas. Compartilhe uma imagem para celebrar feriados e realmente aumente a consciência da marca e SEO.

Ao compartilhar conteúdo visual, os mais efetivos são infográficos, memes, gifs ou outras imagens além do vídeo, que reina absolutamente.

Dicas de conteúdo de mídia social por plataforma

Embora existam conselhos gerais para cada plataforma de mídia social, cada indivíduo tem também seu próprio público e cultura. Aqui estão alguns conselhos para ter em mente e atualizar cuidadosamente cada um de seus canais sociais.

1.Facebook

Para aumentar a consciência da marca pelo engajamento do Facebook, saiba que o algoritmo desta rede foi projetado para expandir o alcance das postagens quanto maior for o engajamento. Quanto mais reações, likes e comentários um post tiver, maior o engajamento.

Mas, como obter maior engajamento? Você deve estar se perguntando. Você precisa colocar conteúdo que comprovadamente  terá reações, likes e comentários. Para o Facebook, o conteúdo com fotos e vídeos têm as taxas de participação mais altas. Mais especificamente, conteúdo de vídeo nativo e ao vivo.

O humor é um dos melhores tipos de conteúdo, porque é positivo, quebra a monotonia dos posts profissionais e nos ajuda a desestressar com uma boa risada. A série #WhatsMySnack de Chris Pratt no Instagram, é um ótimo exemplo de conteúdo de vídeo engraçado, super popular.

2. Twitter

Para estimular o engajamento no Twitter, é importante usar as hashtags estrategicamente. Não importa se você usa as de tendências ou criou a sua, os consumidores usam hashtags ao pesquisar no Twitter. Recomendamos o uso de até três hashtags por post no Twitter (mais do que isso a publicação pode acabar parecendo spam para seguidores).

A frequência de Tweets ajuda também. Quanto mais você tweeta, mais ativa sua página é.

Embora haja um limite de 140 caracteres, existem formas de compartilhar uma publicação mais longa, como incluir um link para outro site. Você também pode tweetar os detalhes de uma imagem ou dividir sua mensagem em vários tweets, então, quando os seguidores lerem, eles formarão uma postagem completa.

Retweetar outros tweets ajuda o engajamento, porque você estará essencialmente ajudando a aumentar o engajamento do post original. Faça perguntas ou realize pesquisas. Claro, o que funciona para o Facebook, funciona para o Twitter em relação a fotos e vídeos.

3. Instagram

O Instagram é um pouco diferente do Facebook e do Twitter, pois você só pode compartilhar imagens e vídeos. No entanto, assim como o Twitter, você também pode usar hashtags no Instagram. Você pode usar até 30 hashtags, mas é melhor usar apenas algumas na publicação e listar o resto como um comentário. Isto não só para melhorar a análise, mas por facilitar a visão dos consumidores que estiverem percorrendo seu feed .

Quando se trata de usar hashtags, não abuse delas! Como Jonathan Chan explica, escolha hashtags que são específicas, direcionadas, relevantes para sua postagem ou negócio, pensamento e inovação.

Quanto aos vídeo, o Instagram apresentou recentemente o Stories, que é o streaming de vídeo ao vivo, mas o conteúdo fica disponível em sua página por 24 horas e depois desaparece.

Além disso, não se esqueça de se envolver com seus seguidores, bem como com outras marcas ou pessoas em sua indústria ou comunidade local! Engajar entre si dá um impulso extra aos seus perfis e o conecta com pessoas de mentalidade semelhante. Afinal, o nome mídia social existe por esta razão.

4. LinkedIn

O LinkedIn é um pouco diferente dos outros três canais que discutimos, porém existem algumas funções básicas que são iguais em todos eles, como comentários em postagens. Ao publicar artigos e outros conteúdos escritos, suas conexões (como são chamadas na plataforma) podem comentar sobre eles.

Os artigos são um dos tipos de conteúdo mais compartilhados no LinkedIn. Estudos recentes mostraram que os conteúdos curtos, como os blogs com menos de 1000 palavras, foram os mais populares, enquanto as mensagens longas consistindo de 3.000 palavras ou mais eram as mais compartilhadas.

Não se esqueça de incluir fotos e vídeos, pois os artigos com fotos recebem taxas de cliques muito maiores. Uma maneira de fazer isso é criar imagens personalizadas, como infografia.

Ao contrário de outros canais de mídia social, publicar apenas conteúdo promocional ou spam não é recomendado no LinkedIn. A idéia é conectar-se a outros usuários com qualidade e conteúdo informativo. Participar de grupos relevantes também é benéfico para sua marca, pois é mais fácil encontrar e conectar-se com pessoas da sua comunidade ou indústria.

 

Agora que você tem uma melhor compreensão das bases de usuários das redes sociais e quais tipos de conteúdo publicar, espero que isto te ajudará a simplificar o processo de

criação de sua estratégia de mídia social.

Este artigo originalmente apareceu no Three Girls Media, foi escrito por Meenah Khosraw da Business2Community e licenciado legalmente através da rede NewsCred publisher. Dirija todas as questões de licenciamento para legal@newscred.com.

Aprendendo com os experts em comunicação: Zuleyma Zablah

Com mais de 100.000 seguidores no Twitter, Zuleyma Zablah se tornou uma expert em criar comunicação e ser ouvida. Ela combina muito bem sua paixão pela tecnologia, inovação e imagem para aplicá-la em suas tarefas de publicidade, investigação e marketing.

Vejamos um pouco das estratégias que ela compartilhou com a gente nesta entrevista:

  1. Quais são os elementos indispensáveis em uma estratégia de marketing ou comunicação digital?

Para mim, o primordial é saber o que as pessoas querem dizer, investigar o público é prioridade para estudar o trabalho e estruturar a estratégia para torná-la um pouco mais efetiva. Às vezes a pessoa tem uma campanha geral, mas eu trato de focá-la mais para aumentar o impacto que ela pode ter em uma região específica. Por exemplo, o gosto das pessoas muda dependendo da região onde vivem. É por isso que é preciso estruturar a estratégia de acordo com as necessidades, os interesses e as preferências do público em um lugar específico. Ao sabermos disto, podemos buscar os canais adequados ao nível do público, para poder medir a efetividade da mensagem que queremos transmitir.

  1. Segundo sua experiência, que estratégia você considera a mais bem sucedida para construir uma comunidade de seguidores no entorno de uma marca ou campanha?

Ter identificado líderes que ajudem a formar esta cadeia, esta unidade, porque mediante um líder conseguimos criar este interesse nas pessoas. É incrível como as pessoas escutam alguns tipos de líderes em temas de interesse. É preciso avaliar a personalidade das pessoas da região. Por exemplo, com o povo de Honduras temos que saber que gostam muito de inovação e que o conteúdo tem que chegar para eles direto ao coração.

  1. Sabemos que você tem mais de 100.000 seguidores (só no Twitter). Qual é a estratégia de marketing digital que melhor envolve as pessoas através das redes sociais?

A mesma, usar líderes, mas não qualquer líder. Eles têm que ser gente comum e corriqueira que esteja se envolvendo com temas sociais ou de turismo. Por exemplo, tem gente que de cara não tem muitos seguidores, mas se esta pessoa é bem conhecida por trabalhar em prol de uma causa social, é este tipo de influenciador que as pessoas vão ouvir.

  1. Através de qual estratégia de marketing/comunicação seria mais adequado associar a identidade nacional na comunicação da marca ou campanha?

Definitivamente, eu faria algo muito visual. Utilizaria as redes sociais e a televisão para distribuir este conteúdo visual. É assim que temos obitido a maior atenção na mensagem que queremos transmitir.

  1. Como seu foco é Honduras. Quais você considera que sejam as táticas mais adequadas para se expandir à um mercado global através do marketing digital?

Nós usamos muito os meios internacionais. Os usamos bastante em campanhas destacando tudo de bom daqui, para fomentar o turismo. Também estamos usando muito o tema de geração de emprego e investimento, frequentemente em países específicos. Nós sempre envolvemos os consulados e os meios internacionais nestes esforços.

  1. Onde você considera que as marcas obtém mais benefícios, na comunicação 2.0 (dirigida à grupos) ou 3.0 (dirigida à pessoas individualmente)?

É melhor publicar aos grupos, porque compartilham mais rápido. Nós usamos um monitoramento internacional para fazer uma segmentação das pessoas de acordo com o lugar onde vivem. Contatar grupos é muito mais rápido do que contatar um por um.

  1. O conceito criativo se aplica para uma estratégia de marketing digital da mesma maneira que o tradicional?

Para o tema digital, nós usamos muito vídeo, opinião, testemunhos de pessoas que visitam Honduras, em televisão e redes sociais. Eu acredito que usamos muito pouco o rádio e os meios impressos.