[Infográfico] Crise da Carne Brasileira – Operação Carne Fraca

A Operação Carne Fraca foi deflagrada pela Polícia Federal para combater o crime envolvendo indústrias alimentícias do Brasil.
Nos últimos dias, temos visto em todos os meios de comunicação, o escândalo e a crise que a Operação está gerando nas maiores empresas do setor, que estão sendo acusadas de comercializar carne adulterada tanto dentro quanto fora do país.
Com o Brasil sendo o maior exportador de carne bovina e frango do mundo, temos experimentado estar no alvo de notícias nacionais e internacionais e menções nas redes sociais do mundo inteiro.
Isto, porque o impacto que a Operação Carne Fraca tem gerado, se reflete na Bolsa de Valores, na falta de confiança de investidores internacionais no setor de agronegócios do país e a instabilidade no cenário político (que já vinha sendo afetado devido a escândalos anteriores).
A Meltwater fez um estudo de toda a cobertura de mídia no mês de março, para mostrar a repercussão que a Operação Carne Fraca vem tendo no mundo inteiro.
Então, pegue um café e confira os dados e insights que trouxemos para você!

Faça Sua Presença Ser Sentida: O Guia para o PR e Marketing de Conteúdo para Eventos Produtivos

Então, a temporada de conferências profissionais já começou! Uma vez que você decidiu ir à uma conferência e ter seu conjuto de viagens, o que você faz para se preparar ?
Meltwater estará indo em algumas conferências nos próximos meses, incluindo a SXSW. (Se você esteve lá, nos chame no Twitter!)

Um time de marketing e PR tem objetivos específicos para cada conferência, mas nos preparativos, eu percebo que há muito planejamento e estratégia envolvidos. Além de muito aprendizado e networking, as metas de conferência incluem produção de conteúdo e um processo de refexão será essencial para colocar tudo em seu lugar

Pequise Sessões e Workshops

Se você não está se inscrevendo para ter um ingresso completo, você deve querer olhar outras opções. Isto pode ser imprensa geral ou acesso de indústria ou um acesso de visita ao pavilhão de eventos. Ter o ingresso certo é o começo para a jornada do seu evento, então certifique-se que você tem as credenciais corretas.

Se você se inscreveu como uma participação completa, arregasse suas mangas e se registre nos workshops ou sessões especiais antes de chegar no evento. Espere, você pode dizer: “Como eu decido em quais eu vou?” Espera-se que as sinopses no site te dêem informação suficiente para tomar as decisões. Se você quiser garantir que verá um palestrante importante, busque vídeos dele no Google, ou conecte buscas relevantes na sua plataforma de monitoramento de mídia e confira vídeos e artigos/posts de sua autoria.

Deixe suas contas sociais da conferência prontas

Se você não usa suas plataformas sociais para este trabalho, você pode limpá-las ou começar uma nova conta especialmente para eventos profissionais, como conferências. Não sabe por onde começar? Use o LinkedIn para networking profissional e Twitter e Instagram pra monitorar os eventos e se conectar com os palestrantes em tempo real.

Dependendo da conferência, pode ser que você veja uma lista dos participantes com a respectiva rede social. Também, se os organizadores fornecerem o Twitter ou Instagram específicos do evento – então você sai na frente! Pegue tudo isso e coloque na lista do Twitter. Se você for super organizado, separar os palestrantes dos participantes vai ser útil mais tarde quando vocês estiver lá, cobrindo a conferência. Como o Instagram não fornece a possibilidade de fazer listas, somente os siga.

Se nenhum nome de participante ou mídia social estiver no site da conferência, descubra os participantes olhando quem está usando a hashtag do evento e dê um google no nome dos palestrantes. No caso do South by Southwest, por exemplo, eu busquei pelo evento de 2017 pela hashtag divulgada #SXSW, além disso “South by Southwest” e “southbysouthwest.” Fazer uma busca booleana em uma plataforma de inteligência de mídia, tráz a vantagem de manter as buscas rodando, pegando resultados o longo do processo de planejamento, bem como te dá a possibilidade de localizar possíveis tendências complementates ao evento.

Depois de chegar a um determinado ponto de inflexão, digamos 100 participantes identificados na sua lista do Twitter, um bom tweet de engajamento pré-conferência pode perguntar: “Quem mais está indo para #SXSW? Juntando uma lista de participantes e não querendo perder ninguém! “Fazer isto serve para três coisas, vai transmitir o seu comparecimento a outros da lista do Twitter, depois, pode te levar a apresentar-se pessoalmente.

E em terceiro lugar, este texto explicativo pode lhe dar algumas respostas; É possível que sua lista de Twitter seja a mais abrangente (e, portanto, será utilizada no evento, durante a conferência).

Produzindo cobertura da conferência

A esta altura, você já deve ter uma idéia de como você gostaria de cobrir a conferência. Durante um evento, especialmente aqueles que duram mais de uma semana, é desafiador fazer algo além de focar no que está acontecendo no presente. Você estará ocupado fazendo network, participando das sessões, tomando notas, assistindo demonstrações de expositores, indo à happy hours e jantares. Então, ter uma idéia de como será sua cobertura e se preparar para isto antes de chegar, é a melhor maneira de criar e produzir conteúdo enquanto você estiver lá. Trave sua agenda para fazer seu projeto em conjunto, assim ele receberá maior impacto. Produzir e receber conteúdo (seja um post de blog ou infográfico) antes (ou logo depois) que a conferência terminar, te permite alavancar a hashtag nas promoções de canais sociais. Também pode ajudar a semear novos relacionamentos que você forjou no evento e te posiciona como uma parte essencial da comunidade que a conferência supre (o primeiro passo para a liderança do pensamento na indústria).

Aqui estão algumas idéias para cobertura:

  • Man on the street entrevista vídeos para serem usados nas atualizações diárias do Twitter
  • Projeto de foto destacando palestrantes ou participantes que refletem os dados demográficos do público
    Vídeos do Facebook live ou SnapChat do andar das conferências, para promovê-los amplamente em canais sociais
  • Postagem diária no blog que recapitula painéis
  • Live tweet com atribuição (Listas de Twitter vêm a calhar aqui)
  • Cobertura social geral do evento no Twitter e Instagram com hashtags (ajuda a fomentar novos relacionamentos)
  • Infográfico ou post no blog que inclui as lições aprendidas e citações favoritas

Pós Evento

Grande parte das conferências são oportunidades de fazer networking. Como coloca um não conferencista YxYY, na média das conferências, nós sabemos que as melhores conversas acontecem no corredor. Elas acontecem à noite durante os drinks e no caminho do ponto A para o ponto B”.
Se você é novo nesta conferência específica e também na profissão, como você pode garantir oportunidades de ter estas conversações. De novo, a escuta social é sua amiga. Como você pesquisa as hashtags divulgadas da conferência, inclui “happy hour”, jantar de participantes, jantar VIP, drinks e after para ter uma noção do que está acontecendo. Para participar de eventos, RSVP aos eventos com convites abertos, aos quais você realmente irá. Você pode também publicar posts de participantes sugerindo engajamento do IRL . Se você está se sentindo super confiante, responda a chamada: “Alguém na conferência quer ir pegar o jantar?” ou lance você mesmo um convite social. De qualquer forma, conferências são uma forma de conhecer pessoas que estão pensando em como discutir sua indústria. Usando inteligência de mídia e canais sociais para suas buscas, você pode enriquecer suas experiências em conferências e torná-las mais produtivas.

Nós falamos sobre sessões, preparo de contas pessoais de mídias sociais, monitoramento dos perfis de participantes da conferência, escuta de hashtags na conferência em tempo real, contribuição de como assimir a conferência e agora, o pós eventos.

Usando este guia, planejar a cobertura e escutar às mídias sociais da sua experiência da conferência (antes, durante e depois) vai te gartantir uma experiência produtiva! Você tem todos os perfis do Twitter, agora é ir lá e fazer o network!

Uma versão deste post foi originalmente publicada em Agosto de 2016. Nós publicamos conteúdo relevante aos sábados.

A Fórmula Secreta para uma Hashtag de Sucesso

Você já está familizarizado com a aparência das hashtags (ex. #Meltwater), mas a maioria das pessoas poderia usar algumas dicas para fazê-las ainda mais efetivas para seus esforços de PR. Hashtags são fantásticas para marcas que querem expandir seu alcance ou solidificar suas comunidades em torno de uma idéia ou evento. Como tudo nas mídias sociais, entretanto, elas requerem um aproach mais matizado do que você pode esperar do seu microconteúdo. Vamos desmembrar alguns do benefícios chave que as hashtags trazem para seus esforços de PR:

Integrando (ou Liderando) a Conversa

As hashtags começaram no Twitter como uma maneira de monitorar conversas e monitoramento de conversas remete a um caso de uso popular para elas. Não é incomum ver pessoas e marcas criando uma rápida hashtag quando eles começam um tópico, com a esperança de que irá pegar e se tornar a âncora para esta discussão. Isto tem se tornado tão comum que na maioria das plataformas sociais onde as hashtags são ativas, elas também são rastreáveis.

Um exemplo de marca que criou uma hashtag coloquial que tem se tornado onipresente é a da Nike #JustDoIt. A hashtag que é pulverizada liberalmente pelo Twitter e Instagram, algumas vezes apenas referenciam a fonte original da página.

Alinhando ou Mostrando Solidariedade em um Movimento

Alinhar um movimento é parte vital da estratégia que nós discutimos em nosso post de Transparência vs. TMI. Agora que os clientes querem seguir marcas que compartilham seus valores, marcas que falam sobre causas positivas que exercem uma excelente tração online. Como com um levantamento de tendências, mencionada abaixo, é prudente que o profissional de PR proceda com cautela aqui. Faça sua lição de casa e certifique-se de que a causa está alinhada com seus valores e de seus clientes antes de entrar de cabeça.

Expandindo o Alcance da Marca e Percepção

Hashtags são excelentes para expandir o alcance e impacto da marca. Existem várias maneiras de você fazer isso, quer seja assistindo e entrando em conversas sobre um slogan da marca existente, como Nike, citada no nosso exemplo acima, que usou uma hashtag para colocar a sua história de marca visual no Pinterest, Instagram e Tumblr, ou iniciar um bate-papo mensal no Twitter sobre a sua área de assunto de domínio. Uma hashtag consistente, curta, fácil de lembrar, ganha forças, você constrói um repositório de engajamento de marca que vive para manter a expansão da consciência e alcance ao longo do tempo.

Participação em Eventos

Todos nós vimos as hashtags onipresentes de eventos lá fora: #SXSW (South by SouthWest), #Grammys, #NBCTheVoice, e muitas mais. Esta é uma das maneiras mais fáceis (e mais seguras) para uma marca usar hashtags de promoção de um evento que eles estão executando e assim incentivar o envolvimento dos participantes ou promover sua participação em um evento importante. Com qualquer uma dessas técnicas de hashtags que mencionamos, você pode criar um Momento do Twitter ou um Storify para transformar uma coleção de postagens de hashtags em uma história, mas esse método de contar histórias (embutida no seu blog!) Funciona muito bem com Eventos em particular. Acima de tudo, se você fizer uma hashtag de evento, mantenha-a curta! Limites de contagem de caracteres podem ser um problema para os usuários.

Suporte e Alcance de Cliente

O Twitter, especialmente, se tornou um canal de suporte ao cliente. Seus clientes já são propensos a usar este canal para feedback e suporte – mesmo que você não esteja preparado! Se você não tiver habilidade para criar uma conta separada para manutenção e suporte, você pode facilmente criar uma hashtag de suporte e usar um serviço de monitoramento para rastrear (listen) e responder (engajamento). Lembre-se: É sempre melhor se limitar à duas respostas públicas para o problema de um cliente, então tentar movê-los para mensagem direta ou email (educadamente).

“Trend Jacking” (Usar com Cautela)

Como tudo online, existem alguns desafios em usar hashtags. Por exemplo, “trend jacking” (inserir sua marca em uma hashtag de tendência associada com o desenvolvimento de uma notícia, como @Wvalderrama fez para Art Basel) é uma tática efetiva que pode facilmente se tornar uma faca de dois gumes. Nós recomendamos que somente profissionais de PR experientes façam isto, já que pode facilmente fazer com que a marca soe insensível ou sem muita aptidão ao usar esta técnica. A reação para “trend jacking” pode ser rápida e vasta, então use com cautela e faça sua lição de casa sobre o propósito da hashtag e sua origem, em primeiro lugar.

Por último, mas não menos importante, é essencial saber duas coisas: onde “trabalhar” com as hashtags (são clicáveis e úteis) e quantas utilizar por post na plataforma. Nem todas as plataformas incentivam seu uso e alguns usuários da plataforma acham que “muitas” são equivalentes a spam. Em primeiro lugar, hashtags são melhores para usar no Twitter, Instagram, Pinterest, Google +, YouTube e Tumblr (elas ainda tem que “pegar” no Facebook). Quanto ao segundo, depende da plataforma. Para o Twitter mais de duas hashtags parece junky para a média de usuários. Para Instagram, no entanto, você pode usar quantas quiser, contanto que eles apareçam após o conteúdo. Esperamos que estas dicas lhe dêem a direção que você precisa para dominar o uso de hashtags de forma rápida e eficaz. E lembre-se, usando uma plataforma de inteligência de mídia para obter insights sobre tendências de hashtags, vai permitir que você veja o impacto que o fato de usá-las está tendo em sua marca.

Como uma pessoa de PR, sua meta deveria ser apresentar informações úteis que permita às pessoas se engajarem facilmente, é por isso que as hashtags podem ser outra ferramenta em sua caixa de comunicação. Para mais conteúdo sobre como destravar o potencial para o PR moderno, baixe o nosso ebook..

Porque a Mídia é Seu Cliente

Excesso de informação está se tornando um problema e superar este ruído pode ser a diferença entre cobertura de marca ou invisibilidade. Desde que os veículos de mídia não têm que olhar muito além do próximo meme que vai viralizar ou tweet para uma história controversa, entender a mídia como um cliente (consumidores das mensagens de nossa marca) pode fazer toda a diferença. Para fazer isso, acesse o lugar onde eles estão em sua jornada de consumidor e tenha os seus pitches para consumo– prontos.

Considerando isto – se você está em algum business hoje, a mídia é seu cliente. Para profissionais de comunicação, a mídia é frequentemente seu primeiro cliente. Contudo para todo mundo, realmente, os meios tradicionais e os novos se tornaram no mínimo um influenciador chave na decisão de compra.

Mídia espontânea ainda é uma das ferramentas mais poderosas em um kit de marketing integrado. Com histórias escassas, você tem que entender não só as necessidades de seus clientes, mas os aspectos únicos do ciclo de compra de mídia também.

Qualquer um em negócios hoje em dia, tem que entender e trabalhar com a mídia em algum momento. Marketeiros digitais podem encontrá-los nas midias sociais. Proprietários de novos negócios pode querer que sua mídia seja escrita sobre seu lançamento. Gerentes de marcas podem escolher mídia espontânea (ou anúncios nativos) como uma maneira de criar ou modificar uma percepção. Fica evidente que agora, a mídia é nossa cliente.

Nós todos sabemos que o ciclo de compras está se tornando cada vez mais autodirigida e a mídia talvez esteja mais distante nessa transformação. Por alguma razão, as pessoas pensam que só lançar press releases e pitches na mídia, vai funcionar. Não é mais assim. Algumas pessoas da mídia recebem de 100 a 200 picthes por dia, ou mais.

De todas as personas com quem trabalhamos como marketeiros integrados, a mídia é aquela que não precisa mais de ajuda para encontrar histórias. Está tudo aí fora para eles, de vídeos virais até burburinho de mídias sociais. E desde que lidar com marketeiros nunca foi a parte mais divertida do trabalho, significa que nós podemos cair no esquecimento.

Para alcançar a mídia, eu argumentaria que você deve influenciá-los do passo um de sua jornada de compra até o próximo, assim como qualquer outro.

Aqui estão algumas pequenas coisas para lembrar quando a mídia é seu cliente:

  • Crie personas que você quer alcançar na midia. Na maioria das vezes, haverá influenciadores primários dentro de diferentes tipos de mídia. Estes podem ser reporteres da TV local, blogueiros do seu nicho, freelancers, etc. Cada um provavelmente é curador de diferentes informações e tem um conjunto de características e comportamento que pode te ajudar a identificar seu ciclo de compra de histórias.
  • Aprenda de onde eles pegam as informações. Aquisição de conteúdo é o aspecto mais importante do comportamento quando a mídia é sua cliente. O que é mais legal, é que você pode perguntar à eles diretamente. A maioria dos jornalistas e blogueiros vão te dizer onde eles gostam de comissariar informações – eles ficam orgulhosos disso. Ou seguí-los nas mídias sociais e ver o que eles postam. Isto te dará ótimas informações.
  • Coloque o seu conteúdo onde eles possam achar. Quando você tiver descoberto os locais comuns de curadoria, esta parte fica fácil. Não é diferente dos produtores de programas da manhã, procurando suas histórias no NewYork Times, como faziam dez nos atrás. Apenas econtre seus lugares favoritos e postar suas coisas lá.
  • Descubra o timing da curadoria também. Eu não sou nenhuma potência na mídia, mas alguns vendedores de marketing gostam de estar no meu blog. Boa parte deles descobriram, que eu estou na midia social normalmente (principalmente Twitter) de manhã bem cedinho. Eles frequentemente me marcam nesta hora, quando eu provavelmente vou ver. Siga suas personas na mídia e façam o mesmo.
  • Apoie suas histórias atuais, não tente só fazer pitch. Encontre uma maneira de ajudar. Talvez você é um expert no assunto que eles escrevem frequentemente. Talvez eles gostem de escrever conteúdo que eles possam girar em um único post. Eu garanto que se você se tornar uma fonte confiável de um assunto específico, em algum momento eles farão coisas legais para sua marca.
  • Meça os passos, não as histórias. Descubra as coisas que a mídia faz para indicar progresso (uma jornada de cliente). Uma vez nós enviamos um pitch para um blog que era escrito pelo CEO de um cliente. Ninguém respondeu. Mas o tráfego para aquele post do blog foi o maior do que qualquer outro post daquele ano. Nada de diferente. Identifique algumas métricas simples, além da resposta e monitore-as.

 

Repita para si mesmo três vezes:

A mídia é minha cliente. A mídia é minha cliente. A mídia é minha cliente.

Agora, saia lá e vá cumprimentar seus clientes em qualquer ponto que eles estejam em suas jornadas.

ebook

Este artigo, escrito por Bonnie Harris do Business2Community, originalmente apareceu em Wax Marketing Blog, e foi legalmente licenciado pelo the NewsCred publisher network. Por favor direcione todas as questões de licencimento para legal@newscred.com.

Quer Construir um Relacionamento Forte com Influenciadores? Foque em Simplicidade e Valor

Entender a proposta de valor para ambas partes quando entrar em uma relação com um influenciador vai prevenir expectativas mal gerenciadas mais tarde. Este post tem alguns pontos ótimos, mas quando você estiver pronto para fazer um movimento para um relacionamento produtivo e mútuo com um influenciador, faça download do nosso e-book para aproveitar ao máximo.

Seja para comprar um novo par de sapatos, pesquisar sobre uma TV tela plana que estamos de olho ou investigando uma nova solução para nossos negócios, nós normalmente buscamos por validação social.

Esta validação pode vir de diversas formas: através de seus pares, analistas, autores, celebridades…até pessoas do dia a dia que nós admiramos ou vemos como experts em nossa área. Isto é o que faz o marketing de influenciadores tão efetivo. Ele toca em nossa necessidade inata de validar nossas decisões e nos dá acesso aos pensamentos, opiniões e insights de pessoas que confiamos – ou até mesmo que admiramos.

Existem muitas maneiras de incorporar influenciadores em sua estratégia de conteúdo e criação. E agora, existem ainda mais ferramentas e táticas para encontrá-los para suas próprias campanhas. Depois que você desenvolver um short-list com os influenciadores ideais, a verdadeira diversão pode começar…

1. Faça Contato

Você ou alguém no seu time deveria ser o ponto focal para todas as conversas e relações com influenciadores. Se você tem um endereço de email, ótimo. Mas se não, engajar via Twitter ou LinkedIn é uma excelente maneira de fazer contato direto, especialmente se você estiver focando em alguém que posta frequentemente nas mídias sociais

Não os sufoque com muitos detalhes; comece dando a eles um resumo de quem você é, a empresa que você representa e uma visão geral do projeto e seu deadline. Pergunte se você pode lhes enviar mais detalhes ou se eles têm tempo de fazer um rápido call para discutir o tema. Dar a eles um rápido retrato do seu projeto, de suas metas e expectativas de data de lançamento, vai ajudá-los a determinar se é um bom fit e se eles têm o tempo para participar.

2. Foque no valor

Com mais frequência do que você imagina, os influenciadores lêem os pedidos de entrevistas e propostas de projetos e pensam: O que isso tem a ver comigo? Quem pode culpá-los? Eles normalmente estão gerenciando sua agenda diária, além de palestrar em eventos, viajando e participando de reuniões em projetos de longo prazo, como livros e séries de podcasts. Então, você quer deixar o valor, o mais claro possível. Por que vale a pena dispensar tempo e energia no seu projeto? O que você está prometendo à eles pelo seu tempo?

Algumas empresas têm budget para alocar em relacionamento com influenciadores e pagar os especialistas pela participação. Mas a verdade é que a maioria não tem. Vantagens sem valor monetário, como um link com seus trabalhos (livros, website, etc.) incluir suas fotos de perfil e detalhes de sua expertise, normalmente oferece valor presente para os influenciadores. Mas se você puder oferecer mais vantagens, como promoção social extensiva ou ingressos VIP para um evento que você está apresentando, é ainda melhor.

3. Simplifique

Como eu falei antes, influenciadores têm muitos afazeres. Uma forma certeira de frustrá-los e fazer com que eles ignorem seus pedidos, é dificultando a participação deles. Vamos supor que eu esteja escrevendo um E-book focado em tendências do varejo e previsões e eu queira incorporar insights de especialistas do mercado. Qual é a melhor forma de obter respostas? Permitir que eles compartilhem seu feedback através dos canais que forem mais convenientes para eles: um email com perguntas ou uma entrevista por telefone.

Mostrar aos influenciadores que você é flexível e que deseja trabalhar com suas disponibilidades, faz com que eles se sintam mais a vontade e disponíveis para manter a conversa fluindo.

Eu normalmente recomendo um email com perguntas, já que muitos influenciadores preferem especular suas respostas e fazer uma profunda edição. No entanto, entrevistas por telefone são preferíveis por alguns, especialmente se eles viajam com frequência ou não têm muito tempo disponível. Dê a eles a oportunidade de rever a acuracidade do conteúdo para que eles se sintam mais confortáveis em participar.

4. Compartilhe o Produto Final (e Resultados)!

A pior coisa que você pode fazer é cortar os laços com um influenciador depois que você teve o que queria dele. Isto faz com eles sintam que você só queria usá-los para gerar uns leads e não se preocupa de verdade com o relacionamento. Isto pode interromper qualquer outra campanha ou projeto com influenciador que você esteja querendo fazer.

Manter a conversa fluindo, mandando uma nota de follow-up para todos os influenciadores com o link final para o blog ou conteúdo. Ou ainda melhor: crie um link bit.ly e compartilhe alguns post sociais customizados que ele possa usar para divulgação.

Investir este tempo e atenção extra em um follow up, vai mostrar que você não se importa só com a performance da obra, mas também em manter o relacionamento com o influenciador.
Depois de algumas semanas ou meses, mandar uma outra nota para eles atualizando-os sobre como o conteúdo está sendo promovido e como está performando entre seu público. Se você precisar de um empurrão promocional extra, seus influenciadores estarão certamente mais felizes em te ajudar.

Engajar e se comunicar com influenciadores é um processo constante. Leva muito tempo e esforço para determinar como incorporá-los em seu conteúdo e verdadeiramente nutrir relacionamentos que gerem valor para você, seus negócios e claro, os influenciadores participantes.

Não tenha medo de testar diferentes táticas e se engajar com diferentes influenciadores para ver o que funciona e o que não funciona. Você vai ver que tudo varia dependendo da meta da sua campanha e da pessoa. No entanto, seguir estes quatro passos é uma ótima maneira de iniciar conversas.

Se você estiver interessado em avaliar suas relações com influenciadores e consolidá-las, faça download de nosso ebook, O Guia Pro para Marketing de Influenciadores.