COMO MEDIR O ROI NOS EVENTOS CORPORATIVOS

Muitas empresas ainda não sabem como medir o ROI nos eventos corporativos e valorizar sua eficácia.

Mas neste artigo, você descobrirá as 5 métricas que Carlos te recomenda analisar quando organizar um evento profissional para sua empresa.

Faz alguns anos, que entre escolher um patrocínio ou realizar um evento corporativo, as empresas nunca se questionavam se haviam tomado a decisão correta.

Além disso, também não se criava um relatório ou informativo sobre o evento corporativo para conhecer o retorno do investimento (ROI).

A razão deste corportamento é que só o pressentimento era suficiente, por dizer, estar presente no evento como se fosse uma obrigação.

Ainda, os orçamentos de marketing estão cada vez mais ajustados e as empresas agora tomam as decisões baseadas em resultados. E não em decisões estratégicas como antes.

Carlos Blog 1 port

Por este motivo, é necessário realizar um relatório ou informativo para medir o ROI em eventos corporativos e que isto permita conhecer os resultados obtidos.

É de vital importância ter definido previamente alguns indicadores chave de rendimento, chamado KPIs.

Lembre-se que os KPIs te permitirão conhecer se o evento corporativo foi um sucesso, assim como os objetivos alcançados.

Uma vez que tenhamos definidos os objetivos e KPIs para o evento corporativo, será necessário determinar como vamos medir o ROI.

Para isso, recomendamos utilizar a ferramenta da Meltwater, porque facilita muito a tarefa de colocar em contexto toda a informação relevante a um evento corporativo.

Como medir o ROI nos eventos corporativos

Uma vez celebrado e terminado o evento há que percorrer o caminho inverso: avaliar os resultados.

Como saber se o ROI de um evento corporativo foi bom ou ruim?

A resposta não é fácil, já que cada evento profissional tem objetivos diferentes.

Mas quando vamos medir o ROI de um evento corporativo devemos analisar tanto os dados quantitativos como os dados qualitativos.

Referente aos dados quantitativos podemos medir dois aspectos, que seguem:

Custos: todos os gastos derivados da organização para o evento.
Receitas: provenientes dos colaboradores, patrocinadores, etc.

E para os dados qualitativos devemos medir os seguintes parámetros:

Impacto nas redes sociais

É fundamental analisar quantas vezes a hashtag do evento corporativo foi compartilhada, assim como o número de menções sobre a marca e o produto.

Além disso, será imprescindível monitorar todas as imagens e vídeos que tenham sido publicados nas redes sociais sobre o evento corporativo.

Por outro lado, se ao evento corporativo foram de forma gratuita, pessoas influenciadoras, chamados influencers, devemos conhecer suas tarifas.

E se uma pessoa influente cobra 169BRL para fazer um tweet e publicou pelo menos 5 tweets durante o evento, seriam 843BRL em publicidade que a empresa economizou.

Você precisa se lembrar que há muitas formas de promover um evento nas redes sociais, mas hoje em dia os influenciadores são um pilar importante quando queremos aumentar o alcance.

Experiência dos participantes do evento

Se queremos conhecer a opinião dos participantes, é recomendável fazer pesquisas online.

Os questionários são uma excelente forma de obter informação relevante em relação às instalações, oradores, catering, acessibilidade, transporte, etc.

Hoje em dia existem muitas ferramentas para fazer pesquisas online que permitem compilar estas informações e conhecer a satisfação dos participantes.

Oferecer uma boa experiência aos asistentes é fundamental para que repitam sua participação em futuros eventos corporativos.

Além disso, você deve levar em conta que as redes sociais são um lugar onde as pessoas compartilham suas vivências, alegrias, frustrações, queixas, etc.

Comento isto porque se o evento ofereceu uma boa experiência, haverá muitas menções positivas nas plataformas sociais.

Fazer um evento corporativo que seja bem sucedido requer muito planejamento e organização.

Por este motivo, você deve ter certeza que a organização do seu evento corporativo está bem planejada e que seja memorável para os participantes.

Notas de imprensa e menções em meios de comunicação

Similar ao caso dos influenciadores, é de vital importância conhecer as tarifas de publicidade nos meios de comunicação.

Desta maneira podemos fazer uma estimativa de quanto dinheiro custaria tal promoção e a economia que a empresa conseguiu com esta presença.

Com a ajuda da Meltwater temos a possibilidade de conhecer em quais meios de comunicação o evento foi mencionado e o alcance dos artigos.

Esta informação será de grande utilidade para determinar o retorno do investimento que se teve no evento corporativo e conhecer a eficácia do mesmo.

Métricas com KPIs como a mostrada na seguinte imagen, podem te dar uma idéia clara de qual foi o retorno do investimento nos meios de comunicação.

Carlos Blog 1

Interesse pela marca depois do evento

Os eventos profissionais não terminam quando finalizam as palestras. É recomendável que a promoção e difusão continuem uma semana depois.

Você deve considerar que a organização de eventos corporativos se realiza para aumentar a notoriedade da marca e conseguir novos clientes.

Por este motivo, é impressindível analisar como as aparições influenciaram os meios editoriais e menções nas redes sociais para a obtenção dos objetivos traçados.

Esta influência não só deverá repercutir no volume de vendas, senão no tráfego do website, número de seguidores nas redes sociais e conversões de potenciais leads.

Se nos focarmos no ambiente web, ferramentas como Google Analytics permitem medir e analisar a repercussão que o evento teve para o website.

Já para o site corporativo ou uma landing page específica do evento, podemos conhecer tanto o número de visitantes, como as páginas que têm visitado e o tempo de permanência.

Definitivamente, aqui temos que medir quantas pessoas se interessaram por nossa marca depois que o evento corporativo terminou.

Vendas de produtos ou serviços

Não há dúvida que esta informação é a mais desejada por qualquer empresa, já que todas querem ganar mais dinheiro e aumentar seus benefícios.

E é verdade que os eventos profissionais não são realizados unicamente para aumentar a notoriedade da marca.

A medição referente ao volume de vendas como consequência do evento corporativo é bastante complexa.

No entanto, há diversos métodos que você pode usar como:

• Código promocional oferecido aos participantes do evento.
• Potenciais leads do evento que foram convertidos em clientes.
• Tráfego e conversões procedentes de meios editoriais.
• Tráfego das publicações e menções em redes sociais.
• Buscas da marca na Internet.

Conclusão

Os eventos corporativos são uma excelente maneira de conseguir novos clientes, mas é de vital importância analisar os resultados conseguidos.

Já que, se não conhecermos o retorno do investimento nunca vamos saber se a estratégia foi rentável para nossa empresa.

Espero que minhas recomendações tenham sido úteis e que você consiga grandes resultados com seu evento corporativo.

Este artigo foi escrito por Carlos Guerra Terol em colaboração com Meltwater.

Os Nãos das Mídias Sociais: 6 Coisas Que Nós Ainda Erramos

Melhores práticas são postas depois de um ou dois erros; por isso, ler sobre passos errados só vai te ajudar quando você estiver planejando uma estatégia anual de mídia social.

Depois de ler sobre os “nãos” leia sobre os “sins” para construir um plano de mídia social que funcione.

Parece que nós estamos utilizando a mídia social desde sempre. Faz tanto tempo assim? De fato, poucos de nós se lembra de quando nossos celulares eram usados, bem, para fazer ligações. O que nós fazíamos antes de digitar e fazer uploads das fotos das nossas escolhas do jantar? Eu sei que uma vez um pager apareceu na Agência de PR em Seattle, mas não consigo me lembrar se eu nunca precisei dele ou se mesmo se eu soubesse usá-lo ele desapareceria da minha memória. Além disso, estávamos ocupados usando nossos telefones de mesa, e-mail e a máquina de fax para atualizar nossos cientes e divulgar nossos contatos de imprensa. Em retrospectiva, tudo parecia tão…antigo.

Com mais de uma década usando as mídias sociais para se comunicar a nível pessoal e profissional, você acharia que todos nós tiraríamos proveito delas. Mas é triste quando você flagra erros em todos os cantos que olha – celebridades postando coisas insensíveis; funcionários twitando em massa logo nas primeiras horas do dia; e todos os dias colegas vivendo as coisas mais inconcebíveis no Facebook.

Com esses lembretes constantes e diários, eu tenho compilada minha lista de coisas que “nós” ainda estamos errando.

1. Quando você não varia seu conteúdo para caber em cada plataforma de mídia social. Você não quer que seus seguidores vejam o mesmo texto em cada canal. Apareça com diversos títulos e hashtags que você puder usar. Personalize seu conteúdo.

2. Não poste material ofensivo: Então, você é uma pessa engraçada – pelo menos é o que todos dizem – mas e se talvez você não for tão engraçado assim? E se as sua piadas não traduzem completamente seu grupo de amigos? Pare e pense antes de twitar. Lembre-se que nem todo mundo entrará na brincadeira. Até mesmo comediantes profissionais pisam nesta mina de vez em quando. Nem tudo é piada digna. Leva uma vida para você construir uma reputação e um segundo para destruí-la.

3. Quando você não tem um plano e perde tempo desenvolvendo este plano. Nem tudo é uma boa idéia e merece esforços. Muitas empresas ficam entusiasmadas e querem começar a usar seu mais novo canal para bombardear seus seguidores. Crie sua estratégia, agenda de conteúdo, funções e responsabilidades e dê a seus seguidores razões para se sintonizarem e participarem.

4. Se você não tem um plano. Se você tem um negócio e quer criar uma estratégia de mídias sociais impactante e bem sucedida – contrate um profissional. Eu ouço isso diversas vezes por semana… bem, nós temos um estagiário que tira fotos e as posta no Instagram. Eu não tenho dúvidas que seu estagiário possa fazer exatamente isso! Mas, a expectativa não é que ele faça mais? Eu acredito muito que as empresas que têm maior impacto nas mídias sociais utilizam seus ativos mais experientes – aqueles que têm trabalhado no marketing, relações públicas, serviço ao cliente ou outros departamentos onde eles aprenderam a cultura da empresa e que saibam como contar uma história. No fim das contas, você terá o retorno do seu investimento!

5. Quando você não responde. Você deve interagir. Recentemente eu postei na página de Facebook de uma empresa com uma pergunta sobre uma nova localização. Já faz várias semanas e eu ainda não recebi uma resposta. Como você pode ser social se você não é social? Na verdade o próprio nome diz – mídia “social”. Não faz nenhum sentido não responder nos seus canais de mídia sociais. Se empenhe ou seja deixado para trás.

6. Quem é meu público alvo? Você sabe quem é seu público alvo? Muitas empresas não sabem. Empresas deveriam saber quem são seus clientes e quem não. Postar às cegas é uma perda de tempo e confunde qualquer seguidor que você tenha adquirido.

Se algum destes 6 “erros” de mídias sociais soam familiares para você, então seria benéfico fazer uma mudança de estratégia. Lembre-se de desenvolver um plano, agir de acordo com ele, objetivá-lo sabiamente e comunicar. Com isto, eu não vou precisar checar a minha página de Facebook para ver se eu já recebi uma resposta – sem prender a respiração.

Este artigo apareceu originalmente no Williams Group Public, escrito por Don Williams do Business2Community e foi legalmente licenciado por NewsCred publisher network.

Entendendo Sua Indústria como um Novato ou Estagiário de PR

Todos nós já fomos novatos, seja como profissional de PR, estagiário ou marketeiro, todos concordamos com os desafios da primeira semana em uma nova posição. Então, para ajudar com esta transição, nós extraímos esta passagem sobre entender sua indústria, do nosso ebook sobre encontrar seu estilo e se sobressair em sua nova posição em comunicações.

O fundamental para ser um profissional de PR ou marketeiro é enteder seu mercado. Qualquer bom profissional vai te dizer que a habilidade de coletar dados valiosos e torná-los insights praticáveis é crítico para o sucesso. Muitos chavões em uma frase? Deixe-me explicar. Para comercializar efetivamente, você tem que entender:

O Que Faz Minha Marca se Destacar?

Saber o que faz sua marca se destacar antes de seguir em frente com qualquer plano de comunicação. Você quer entender o que é importante para sua marca e existem algumas perguntas a se fazer:

• Quais são suas mensagens chave?
• Quais são as palavras-chave que te ajudam a definir sua marca?
• Quais palavras-chave ou frases já estão associadas com sua marca? Isto te ajudará a capitalizar colhendo os frutos mais baixos da árvore. Se sua marca já está associada com “armazenamento flash”, mas sua campanha ou empresa estão se movendo para um aspecto diferente de armazenamento, você saberá ir até os jornalistas que já estão interessados no que você faz. Eles estão mais propensos a te seguir pela jornada enquanto simultaneamente você constrói relacionamento com novos jornalistas.
• Quem está discutindo meu produto ou serviço em canais tradicionais ou sociais?

Usando uma plataforma de monitoramento de mídia, você pode passar do network tradicional e social a entender seu mercado. Jornalistas ao redor do mundo estão escrevendo e contribuindo com conteúdo e publicações que estão sendo pesquisados por plataformas de inteligência de mídia. Use esta riqueza de dados para entender quem está discutindo seu produto ou serviço, e onde. Você pode fazer isso identificando palavras-chave ou termos de busca para inserir no sistema.

• Por quais palavras-chave você deveria buscar?

A primeira configuração é obviamente sua empresa (ou empresa do seu cliente) marca e nomes de produtos. Então:

• Quem pagaria pelo meu produto ou serviço?
• Quem já comprou meu produto ou serviço?
• Quem está discutindo meu produto ou serviço nos canais tradicionais e sociais?
• Quem está discutindo o produto ou serviço do meu concorrente nos canais tradicionais e sociais?

Todas estas pessoas definem seu público alvo. Seu time pode já ter feito este trabalho. Eles podem já ter uma apresentação em Power Point listando suas características chave de segmento de público e as melhores maneiras de chegar até eles. Mas se o seu time não não tem esta informação, ou se eles estão buscando atualizá-la, uma plataforma de inteligência de mídia pode te ajudar a reunir dados e transformar o que você encontrar em insights.

Mas para entender a indústria mais profundamente e descobrir novas oportunidades, comece escrevendo uma lista de funcionalidades do produto ou serviço. Ao lado de cada funcionalidade, liste os benefícios que eles oferecem. Por exemplo, se seu cliente é uma empresa de seguros digitais, uma funcionalidade que ele gostaria, é uma proteção anti-vírus. Quais são os benefícios de uma proteção anti-vírus? Protegem um cliente de malwares, scams, etc.

Logo, sua lista de termos deveria se parecer com esta:

Também é uma boa idéia buscar e seguir hashtags que pertencem à sua indústria. Você pode usar a mesma lista identificada com seu conjunto de recursos como ponto de partida para pesquisas sociais.

Quem Está Discutindo Produtos e Serviços do Meu Concorrente nos Canais Tradicionais e Sociais?

Ao mesmo tempo que você está monitorando sua marca, você deveria estar buscando seus concorrentes. Fazer um Benchmark da Concorrência pode ser abordado em mais de uma maneira. Você pode simplesmente monitorar os nomes dos seus concorrentes olhando assuntos da sua indústria e novamente, tomando notas das publicações onde eles foram citados e quem são os jornalistas que os cobrem. No social, encontre quem seus concorrentes e influenciadores estão seguindo em todos os canais relevantes.

Como um estagiário ou novato em PR, é provável que seja isto que será capaz de obter com estas pesquisas. Você vai descobrir tópicos chave, canais e influenciadores que sua empresa poderia estar engajando. Mas se você estiver interessado, o próximo passo nesse processo é entender a demografia e psicografia do seu mercado alvo. Coisas como idade, localização, gênero, nível sócio econômico, nível escolar, traços de personalidade, valores e comportamento contribuem para saber o hábito de compra do consumidor. Não faça isso presumindo a demografia alvo e psicografia baseado na sua experiência e conhecimentos pessoais. Este tipo de pesquisa de mercado requer ambos dados: quantitativo – como o que você começou fazendo com a Meltwater – e qualitativo (grupos de foco, pesquisas, etc…) – busca para verdadeiramente entender seu alvo demográfico e psicográfico.

Este trecho com informações sobre a compreensão de sua indústria vem de nosso ebook para download grátis, Como ser um Top PR ou Estagiário de Marketing. Pegue uma cópia para obter mais informações sobre como detonar como um novato em PR ou estagiário.

Pitchs de Sucesso para Jornalistas – Histórias e Casos

Você sente que está fazendo pitchs para o além? Os profissionais de PR bem sucedidos se baseiam em estratégias que funcionam para eles. Incorporar estes ponteiros e abordar os jornalistas com uma mentalidade de marketing de conteúdo pode te ajudar a encontrar os seus objetivos de mídia.

Campanhas de Relações Públicas geralmente incluem alcance de mídia. Mas, qualquer profissional de PR que trabalha com relações com a imprensa pode te dizer que fazer um pitch para influenciadores é um desafio.

Atualmente, como os jornalistas mudam de emprego e as equipes estão reduzidas em muitos meios de comunicação, os repórteres que sobram estão sobrecarregados com pitchs. O Bureau de Estatística de Trabalho dos EUA, diz que há perto de cinco profissionais de PR para cada escritor.

Então, Como os Profissionais de PR podem Vencer

“É preciso muito mais para construir um pitch de interesse do que há cinco anos”, diz Susan Thomas, fundadora e CEO da Agência 10Fold. “Foi-se o tempo em que escrever um pitch esperto e trabalhar com o repórter certo era suficiente. Agora, você tem que ter um “porquê” – e ele tem que ser impressionante.Tem que ser mais arquitetado, mais planejado, mais pesquisado. Não basta cobrir um produto, especialmente para uma empresa não comprovada”.

Lauren Stewart, Adviser de Relações com a Imprensa para a linha aérea canadense WestJet linha aérea canadense WestJet, concorda. “Gastar mais tempo preparando e pesquisando vai te trazer mais sucesso na hora de fazer um pitch da sua história. E quando eu digo fazer um pitch da sua história, eu quero dizer história. Não um produto. É preciso habilidade para criar uma história que faça o jornalista se interessar em falar sobre você. Nenhum repórter quer ser sócio do seu produto”.

Então qual deveria ser o seu pitch? “Normalmente, é o lado humano das pessoas que tem cobertura”, diz Stewart. Um exemplo envolveu sua empresa WestJet, dando o que eles chamaram de “Milagres de Natal”, que incluiam vouchers de passagens aéreas. “Nós tivemos uma profunda cobertura com uma Terceira parte contando a nossa história por nós”.

O que mais funciona quando você quer fazer um pitch sobre mais de um produto? Thomas, que trabalha principalmente com clientes de tecnologia, diz que até mesmo para anúncios de financiamento, os standards mudaram.

“Porque a mídia é tão dura na validação e exige pontos de prova, nós temos que pensar além do pitch para ter a cobertura”. Por exemplo, conduzir uma pesquisa, Thomas sugere, assim você pode incluir os resultados no seu pitch para validar a necessidade pelo produto. Contudo, Thomas alerta que para esta estratégia ser efetiva, você tem que começar as pesquisas um bom tempo antes da data do anúncio. “É preciso muito mais neste tipo de esforço, mas é isso que precisamos fazer para alcançar os resultados que o nosso cliente procurava”.

Tirar proveito de uma tendência também pode conduzir ao sucesso. Meagan Ewton, uma Coordenadora de Relações Públicas da Universidade Rogers State, explica como seu time foi capaz de surfar a onda de popularidade do Pokémon Go para promover um eveneto da comunidade fazendo pitch de uma história em vez de emitir um comunicado de imprensa.

“Nosso pitch de maior sucesso este ano foi para o evento do Pokémon Go que se suportou por três semanas após o lançamento. Houve uma sinergia com os repórters que já estavam cobrindo a história, então nós tiramos proveito disso. Nós fomos capazes de compartilhar o desenvolvimento do nosso game, software e programas de design gráfico e isso entrou na história, o que que gerou mais presenças em nosso evento”.

Um outro conselho para criar um pitch de mídia muito bom vem de Karen Swim, Consultora de PR e Fundadora do Words For Hire. “A campanha mais bem sucedida começa com uma visão clara, focada nos resultados”, diz Swim. “Os objetivos não são meramente “ter cobertura” ou “aumentar a visibilidade” mas ter uma meta final específica que sejam mensuradas.É crítico ter ferramentas que te permitam analisar e medir seus esforços e depois usar o feedback para direcionar seus próximos passos”.

“Decisões baseadas em dados se tornou parte das nossas vidas diárias”, agrega Thomas. “Você precisa de dados que apoiem sua performance”.

O que você pode tirar destes profissionais é que a medida que a nossa indústria continua evoluindo, fica claro que focar na parte de relacionamento de PR é essencial no pitch. Tenha um approach mensurável enquanto embarca nos pitchs de sucesso para meios de comunicação e repórteres, conforme apropriado. Felizmente, com a ajuda de uma plataforma de inteligência de mídia e acesso a uma base de dados de influenciadores plataforma de inteligência de mídia e acesso a uma base de dados de influenciadores, marcas podem ter resultados. E esse é o tipo de sucesso que faz com que os budgets de PR continuem crescendo.

Prevendo A Próxima Dirupção em Mídias Sociais

Quando o Facebook apareceu em cena, ele mudou nosso approach nas mídias sociais. Ele ditou as regras de como as redes sociais deveriam proceder e ele se tornou rapidamente o maior player no jogo.
Pinterest foi um outro game changer. Logo depois que ele apareceu em cena, se tornou a mídia social que mais cresceu na história. Não havia nenhum outro site como este e logo ele se tornou o maior influenciador em campo, fazendo com que os marketeiros tivessem que retrabalhar suas estratégias e inspirando dezenas de sites falsos.
Nós sabemos que as mídias sociais vieram pra ficar, mas falta saber como eles irão evoluir. Nós temos certeza de que a medida que a tecnologia evolui e o comportamento dos usuários muda, a mídia social também acompanhará as mudanças. Nós estamos só imaginando qual será a próxima grande dirupção nas redes sociais.

O que Gera uma Dirupção?

Para começar, nós precisamos entender exatamente o que conta como uma “dirupção”

O fato de apenas lançar uma nova mídia social, não é uma dirupção. Se este fosse o caso, centenas de mídias sociais que foram apresentadas e caíram no esquecimento, contariam com uma dirupção e elas certamente não causaram isto.
Para contar como uma verdadeira dirupção, um novo site ou tecnologia, precisaria ser:

● Oportuna. A evolução tecnológica pode acontecer muito lentamente ou de uma hora para a outra. Para diruir a mídia social, a dirupção precisa ocorrer muito de repente, quase imediatamente. Aplicativos mobile, são um exemplo de uma evolução lenta já que levou anos para que as pessoas os usassem para acessar as mídias sociais. Facebook Live foi uma mudança imediata porque foi apresentada e incorporada imediatamente.
● Significante. Nenhum site ou tecnologia pode ser considerada diruptiva se não causar um grande impacto. Por exemplo, os novos emojis de reação que o Facebook oferece além do tradicional “like”, não causou um impacto significante porque eles somente mudaram minimamente a maneira que as pessoas interagem com os updates. No entanto, os filtros e lentes do Snapchat podem ser consideradas uma dirupção já que eles realmente mudaram o modo com as pessoas podem postar fotos e vídeos.
● Abrangente. Para ser uma dirupção, a tecnologia ou o site também tem que alcançar uma vasta gama de pessoas ou ser afetiva a um grande número de aplicativos ou dispositivos. Então, se um site pequeno oferece uma nova funcionalidade que afeta somente os usuários do seu site, ela não pode ser diruptiva. Mas se o Facebook introduz uma nova funcionalidade que compreende todos os seus usuários e também inspira outros sites a oferecer algo similar, isto é diruptivo.

Ter uma definição básica do que pode ser considerado diruptivo, nos ajuda a avaliar novas tecnologias e sites. Então nós podemos ver se uma mudança verdadeiramente influenciará o futuro ou se será apenas outra novidade passageira.

Dirupções Potencialmente Novas

Facebook é a rede social mais influenciadora e continuará sendo num futuro previsível.
Por causa do que muitos chamam de “o Efeito Facebook”, não é provável que outra mídia social vá emergir e ter muita influência. Então, deve demorar um tempo até que vejamos a próxima grande dirupção.

Entretanto, alguns diruptores potenciais podem ser:

● Sites Existentes. Para assumir o poder, você já tem que ter algum poder e existem muitas mídias sociais que estão na posição certa para isto. Twitter, especialmente, pode se tornar o próximo grande diruptor. Foi um diruptor quando começou e continua a ser um das top mídias sociais. Ele pode evoluir e prover novas ofertas, permitindo que tome a liderança do Facebook ou que introduza uma nova funcionalidade que possa derruir o cenário atual.
● Gimmicks. Gimmicks usualmente não são considerados novidades que produzam efeito tão imediato quanto são lançados, mas algumas inovações começaram como gimmicks. Desde que os gimmicks começaram a ser moda, essencialmente eles ganham muita atenção imediatamente e pegam pressão. A próxima dirupção poderia vir de um truque que nunca perde sua dinâmica. O gimmick poderia também se tornar a próxima grande coisa ou poderia influenciar outros site a oferecerem funcionalidades semelhantes.
● Hardware. Pense em como o mobile mudou as mídias sociais quando decolou. Agora pense no que poderia acontecer se os fones de ouvido de realidade virtual decolassem. Ou se relógios smart ou otros dispositivos smart se tornassem a próxima grande coisa. Nós poderiamos estar entrando em um novo mundo de mídias sociais e Internet, bem ousado.

Quando estes elementos aparecerem no tempo certo e com o alcance certo, nós estaremos olhando para algo novo e excitande de como vivenciamos a mídia social.

Qualquer que seja a mudança para mídia socia vai trazer grandes mudanças para o cenário online e para os marketeiros em geral. É importante que você se mantenha informado sobre quais mudanças estão acontecendo e ser flexível o suficiente em seus planos de marketing para se adaptar a elas. Você não quer ser a pessoa que está acabando de entrar no Facebook depois de anos que ele foi o deruptor.

Este artigo apareceu originalmente no CodeFuel.

Este artigo foi escrito por Jonny Rosen do Business2Community e foi legalmente licenciado através de NewsCred rede de publicadores.