Obter mais do que uma Avaliação de Evento

Como profissionais de RP trabalhamos no planejamento de eventos difíceis. Quando ele vai bem, os dias, semanas e meses de trabalho, tudo vale a pena. Somos como maestros de música, só que mais durões, com uma orquestra de planilhas, telefonemas, listas, e-mails, contratos, e o site. Não importa quanto tempo temos produzindo eventos, um evento ainda se sente como um trem de carga sem freios, algo que está vindo esteja você pronto ou não. Então, todos nós “medimos duas vezes, cortamos uma vez” e trabalhamos para o melhor evento possível.

Porém, pode haver algo que você perdeu. E se meses atrás, enquanto este evento era germinando, você considerasse monitorar tudo o que estava acontecendo no evento, enquanto ele estava ocorrendo? Uma avaliação do evento além das métricas usuais de contagem de participantes, palestrantes no horário e custo do buffet.

Atualmente, dados são reis e mesmo que pesquisas no local do evento estejam disponíveis, coletar informações acionáveis de participantes durante (ou logo depois) de um evento pode ser um desafio. Saber como um evento é recebido, enquanto ele está ocorrendo, pode ajudá-lo a identificar tendências e informar relatórios pós-evento. É por isso que Alertas Executivo da Meltwater rastreiam as menções no Facebook, as hashtags no Twitter e Instagram, do seu evento. Ele faz isso enquanto segue a trajetória de hashtags da marca e pavimenta influenciadores na condução de conversas relacionadas a eventos em tempo real. E a geo-localização do evento garante que você veja conteúdo social daqueles que estão no evento, não daqueles que estão assistindo de longe.

Este infográfico (abaixo) da Copa do Mundo de Hóquei na semana passada, é um exemplo de conjuntos de dados que podem surgir. Se você estivesse fazendo um evento, você não iria querer saber que o primeiro-ministro Justin Trudeau estava twittando sobre isso? Ou que as hashtags orgânicas do evento # WCH2016 renderam ao lado do #CanadasGame?

Este tipo de escuta social pode agregar diálogo em tempo real para qualquer evento. Confira este World of infographic Hockey feita com dados de Alertas Executivo da Meltwater e se você estiver interessado em aprofundar suas redes sociais para audição de eventos e relatórios, solicite uma demonstração.

wch2016_infographic.png

Os profissionais de marketing mais bem sucedidos sempre batalham até o fim

Planejar, para uma marca duradoura, significa ser alinhada com a sua estratégia de marketing e implementação de inteligência de mídia desde o início. Este post abrange outras placas de sinalização ao longo do caminho para a criação de uma marca de sucesso.

Tim Ferris, na minha opinião, tem um dos melhores podcasts do planeta. No episódio # 177 ele entrevistou uma das minhas pessoas favoritas no mundo, Seth Godin. Neste episódio, Seth compartilhou algumas de suas reflexões sobre marketing e como todos nós precisamos pensar pequeno para ser grandes. Eu tive o privilégio de me “graduar” no grupo de altMBA do Seth em janeiro deste último ano e a experiência provocou mudanças para muito melhor. Este podcast despertou algumas lições que aprendi no programa altMBA, bem como muitas outras que eu recolhi dos livros de Seth e outros grandes marqueteiros. Enquanto nossa cultura está sempre em busca de ganhos rápidos, aqueles que jogam o jogo até o fim, geralmente são os que realmente colhem a maior recompensa.

“Quanto tempo até que vejamos mais lucro?” Esta é uma pergunta que eu devo ter feito, pelo menos, uma centena de vezes. Quando se trata de ver um ROI, as empresas esperam que seus esforços de marketing entreguem e entreguem rápido. Enquanto há uma série de coisas que podemos fazer para ajudar a alavancar uma campanha, as verdadeiramente bem sucedidas, demandam um trabalho consistente e compromisso a longo prazo. Marcas como Apple, Coca-Cola e Ford não apareceram de uma hora pra outra. Eles levaram muito tempo focados na construção de uma conexão com aqueles que eles sabiam que seu produto serviria. Abaixo estão 4 coisas que você pode fazer para construir uma marca de sucesso que vai resistir ao teste do tempo.

Ganhe permissão

Nossas vidas estão cheias de interrupções. Desde de um e-mail spam até telefonemas indesejados de robôs, parece que não há como escapar. Marcas que constantemente forçam sua entrada em nossas vidas sem permissão, deixam o sentimento do público violados. Este é exatamente o oposto de construir confiança. Com os consumidores de hoje em dia tendo mais controle sobre o processo de compra, quem atua com marketing, deve pensar diferente.

2.png

Nossa economia é construída sobre conexões. Para ganhar permissão, você deve estabelecer algum nível de relacionamento. Isto pode ser feito através da mídia social, o seu blog, um a lista de e-mail opt-in, etc. Sem permissão, você se torna um intruso. É o relacionamento que dará ao marketing ou ao dono da empresa, a permissão para compartilhar o que você tem com seu público. Marketing de Permissão é como namoro. Transforma estranhos em amigos e amigos em clientes para toda a vida. Muitas das regras de namoro se aplicam, e assim trazem muitos benefícios” ― Seth Godin, Permission Marketing : Turning Strangers Into Friends And Friends Into Customers

Falando a verdade

Marketing é realmente contar uma história. O objetivo é ajudar o público a mergulhar na sua história e na imagem do que a vida poderia ser com seu produto ou serviço. Com algumas muitas mensagens voando ao redor, pode ser tentador esticar um pouco a verdade, a fim de atrair mais pessoas para a nossa história. O problema é que quando suas promessas não correspondem ao resultado esperado, a credibilidade da sua marca leva um tapa. “Quando reconhecemos a fraude pelo que ela é, nos sentimos incrivelmente estúpidos. Mais do que nossas contas bancárias danificadas, estão nossos egos. Como resultado, é quase impossível para o marketeiro recuperar a confiança” ― Seth Godin, All Marketers Are Liars: The Power of Telling Authentic Stories in a Low-Trust World

A autenticidade é a chave para criar uma história que ressoa entre o seu público. Uma vez que você ganhou a permissão de se intrometer na vida deles, você precisa dizer a verdade, e toda a verdade. Na minha opinião, nós subestimamos a capacidade das pessoas de lidar com a verdade, mas ser honesto funciona. Deixe-me dar um exemplo. Em nota da Apple em 07 de setembro de 2016, eles lançaram o novo iPhone 7. A versão Plus vem equipada com uma nova lente telefoto. Mas, o software para realizar tudo o que a lente pode fazer ainda não está completo. Então, ao invés de reter toda a história, eles compartilharam o que pretendem fazer, enquanto esperam liberar a atualização do software. Esta foi uma jogada ousada para uma marca enorme, mas sua transparência ajuda a nutrir a confiança que estabeleceram com a sua tribo.

Sendo Notável

Por que alguém deveria comprar o seu produto ou serviço? Se você olhar em vários setores, você começará a notar um padrão. A maioria dos produtos e serviços dessas indústrias são basicamente os mesmos. Claro, existem algumas diferenças aqui e ali, mas a principal diferenciação é o preço. Ter o menor preço não é ser notável. Ser notável é difícil por uma razão. Se nos obriga a quebrar o status quo e assumir um risco. “Tratamos nossas escolas, como fábricas. Colocamos as crianças em fila, colocamos em lotes (chamadas notas), e trabalhamos muito para nos certificarmos de que não há peças defeituosas. Ninguém se destacando, ou ficando para trás, correndo lá na frente, fazendo bagunça. Todos jogando na segurança. Seguindo as regras. Essas parecem ser as melhores formas de evitar o fracasso” ― Seth Godin, Purple Cow: Transform Your Business by Being Remarkable

Há muito poucas marcas que têm sido capazes de sair do passado com “medo do fracasso” para “ser notáveis.” O que não significa assumir um risco incalculado, mas confiar seu intestino. Muitas vezes em minha vida achei que eu poderia ter o meu próprio negócio, mas o medo de falhar me impediram. Não aconteceu até que eu passei por esse medo e acreditei que o que eu tinha para oferecer não só era bom, mas também era notável para que as coisas mudassem. Como dono de uma empresa, se você não acredita que seu produto ou serviço é notável, ninguém acreditará.

Sua marca é a promessa que você faz

Depois que você ganhou confiança e contou uma história poderosa e verídica sobre um produto ou serviço notável, o que vem depois? Consistência. Esta é uma das habilidades mais subestimadas que todos os profissionais precisam adquirir. Ter a capacidade de desenvolver a marca e o marketing com consistência é fundamental para o sucesso a longo prazo. Apple é um exemplo comum neste caso, e por que eles não deveriam ser? Tudo o que fazem em seu site, para seus produtos passam a mesma sensação. Outra empresa que faz isso bem é o supermercado Publix. De seus comerciais de televisão à experiência na loja, tudo combina. Consistência gera confiança em sua marca e ajuda a corresponder às expectativas do seu público.

Uma frase que eu uso muitas vezes com a nossa equipe e clientes é “tudo se comunica.” Desde as cores dos sites até a aparência de materiais de marketing, tudo diz algo para o seu público sobre a sua marca. O objetivo de seus esforços de marketing é se conectar com seu público, desenvolver a confiança e cumprir as promessas feitas. Cumprir as promessas da marca começa com ligar o significado da marca com as pessoas que elas servem. “Grandes marketeiros não fazem coisas. Eles fazem significado” – Seth Godin

1.png

Construir um negócio bem sucedido ou marca, leva tempo. Pode ser difícil jogar o jogo por muito tempo, especialmente quando você vê outros em volta de você que parecem estar à frente. Mas não permita a posição deles determine o seu caminho. “O trabalho não é alcançar o status quo; o trabalho é inventar o status quo.” ― Seth Godin, Poke the Box. Se você se concentrar em ganhar permissão, dizendo a verdade, sendo notável e mantendo as promessas que você faz, a colheita você que você vai ter será muito maior do que lucro. Seja persistente e mantenha o foco!

“Eu tinha 40 quando me tornei um sucesso, e eu vinha publicando há 20 anos.” – Mary Karr

Lembre-se, os marketeiros mais bem sucedidos sempre jogam o jogo por muito tempo. Então, como você planeja e constrói a sua marca, a implementação de escuta social como parte estratégica de inteligência de mídia deve ser parte integrante de sua fundação.
Este artigo foi publicado originalmente no SMA Marketing, foi escrito por Ryan Shelley de Business2Community, e foi legalmente licenciado através da rede publisher NewsCred.

5 dicas (+1 bônus) para Enfrentar uma Crise

Nos dias de hoje, no sempre ligado mundo da mídia social, uma crise em RP pode chegar em qualquer momento. Quando (e se) uma crise bater à sua porta e se ela afetará ou não a sua marca, depende de quão bem você está preparado. É por isso que estas cinco dicas para lidar com uma crise vêm a calhar. Quando você estiver pronto para entrar na água mais profunda, faça o download do nosso ebook, Inteligência de Mídia para a crise em Comunicação e saiba que você estará pronto para qualquer imprevisto.

Ficar à frente de uma crise pode significar que você será o primeiro a divulgá-la. Quando um vôo da Southwest Airlines para o Aeroporto LaGuardia, em Nova York derrapou na pista e caiu de nariz, a companhia teve a notícia do acidente no Twitter e no Facebook em poucos minutos, prometendo atualizações.

Em poucos minutos, eles receberam agradecimentos pela honestidade. Se uma crise vai vir de qualquer maneira, e você já sabe disso, por que não ter crédito pela integridade de torná-la pública? Southwest Airlines foi a primeira a relatar a história e foi elogiada por ficar à frente da crise.

O que nos leva à primeira dica:

1. Use seus canais de comunicação. Durante uma crise, comunique-se com seu público usando os mesmos canais que você sempre utiliza. Centralizar todas as informações relevantes em seu site, mesmo que o seu público esteja aconstumado a saber de você no Twitter ou YouTube, inevitavelmente, vai deixá-los desinformados e insatisfeitos com a forma como você lidou com as coisas.

2. Nunca perca de vista seus objetivos. Como as coisas crescem, esteja preparado para se mover rápido. Um dos primeiros passos é saber com quem você está falando e como alcançá-los.

Tenha em mente que você vai ser medido em:

  • Velocidade: Mesmo no melhor dos tempos, as pessoas querem resultados rápidos. Reconhecer o problema rapidamente e atualizar infomações de como você vai resolvê-lo.
  • Transparência: Está ficando cada vez mais difícil manter segredos. Ficar à frente de uma crise significa compartilhar o que você sabe e ser aberto sobre o seu compromisso com a solução.
  • Relatabilidade: Você também será julgado pelo quão fácil você torna para as pessoas encontrarem e entenderem o que eles querem saber. Uma ferramenta de inteligência de mídia irá indicar se sua mensagem está furando (alcance), como as pessoas se sentem sobre isso (sentimento), e se ela está sendo amplificada (engajamento).

3. Conheça o seu público. Dito isto, pessoas diferentes se preocupam com coisas diferentes. Personalize as mensagens e canais que você usa para chegar a cada grupo de partes interessadas.

4. Faça sua mensagem ser ouvida. Inteligência de mídia também permite encontrar as melhores formas de ampliar a sua mensagem. Mídia paga, orgânica ou própria, desempenham um papel único em fazer-se ouvir:

  • Mídia Orgânica: Comunique-se em seus canais de mídias sociais, diretamente com seus seguidores. Se a sua mensagem alcançá-los, você pode contar com eles para compartilhá-la com sua comunidade. Neste ponto, os jornalistas devem estar prestando atenção a esses canais também. Se a sua mensagem ressoa, você vai ter mídia orgânica através dos seus seguidores.
  • Mídia Própria: O seu website e e-mails são ambos grandes maneiras de fornecer informações. Certifique-se de que a escala da crise é refletida pela proeminência que você dá a ela em seu site. Pergunte-se se ela merece uma bandeira do Web site ou apenas uma menção na sua página de notícias da empresa.
  • Mídia Paga: No social, você pode considerar a possibilidade de programar a mídia paga(como posts patrocinados no Twitter) e usar esses caça-níqueis para enfrentar a crise pode ajudá-lo a chegar nas pessoas que são mais afetadas, ou possuem mais voz em suas críticas.

O que procurar

  • Clientes: Os clientes são geralmente os mais diretamente afetados por uma crise. Compreender em que medida a crise tem impactado negativamente e quantos clientes estão insatisfeitos irá ajudá-lo em sua resolução. Os investidores – Uma crise pode ter um impacto negativo no preço das ações da sua empresa. Descubra como a comunidade financeira está reagindo e leve isso em consideração quando você se comunicar com seus investidores.
  • Funcionários: Os funcionários agem como representantes ou embaixadores da marca da sua empresa. É importante proporcionar-lhes mensagens corporativas e monitorar a comunicação voltada para o público em relação à crise.
  • Influenciadores: Influenciadores passaram a ser blogueiros, personalidades sociais, analistas e jornalistas. Entre os dois primeiros, alguns podem ser advogados para sua empresa e alguns, detratores.

A inteligência de mídia permite que você saiba quem provavelmente está do seu lado.

5. Meça o seu impacto Ao abordar uma crise, não se esqueça de avaliar como suas atualizações estão sendo recebidas. A plataforma de inteligência de mídia permite controlar como as pessoas estão respondendo e como o sentimento está mudando. Quando bem utilizada, a inteligência de mídia proporciona visualizações ainda mais granulares. Como sua crise repercute em mídias sociais e na imprensa, você pode usar sua plataforma de inteligência de mídia para comparar por palavra-chave o sentimento que está sendo dito nas mídias sociais versus a imprensa versus contra outras pessoas – chave que estão tentando moldar a mensagem (por exemplo, seus concorrentes ou funcionários do governo). Fazer isso pode ajudá-lo a atingir suas metas em comunicação e personalizá-las por canal e audiência.

Bônus: Saber quando se afastar. Não existe nada tão ruim como encerrar uma crise que está sendo falada no Twitter ou Facebook. Como vimos, o público vai exigir que você se envolva em um diálogo. Bloqueá-los desde o início antes que publiquem em seus feeds só vai levá-los para os outros feeds, onde eles não se esquecerão de comentar com todas as suas forças táticas. Mas também é importante saber quando a deixar a conversa. Se você já fez todos os pontos que você podia fazer, mas ainda há uma minoria de detratores que estão repetindo a mesma coisa uma vez aqui outra ali, qualquer resposta que lhes der apenas irá colocar mais lenha na fogueira. Afastar-se e remover o alvo lhe dará menos chances para reagir. Mídia orgânica, própria e paga, cada uma delas desempenha um papel único em fazer-se ouvir durante uma crise.

A melhor maneira de lidar com uma crise é se preparar bem antes. Estas cinco dicas do nosso ebook para download gratuito, Inteligência de Mídia para a crise em Comunicação, vai colocar você no caminho. Obtenha o ebook completo e tenha os recursos necessários, antes de precisar deles. (Mas esteja pronto, no caso de precisar)

Screen Shot 2016-08-18 at 3.34.24 PM.png